Lava Jato no Rio mira dez deputados estaduais em investigação sobre ‘mensalinho’

A Polícia Federal cumpriu 22 mandados de prisão em um desdobramento da
Operação Lava Jato na manhã desta quinta-feira (8). Sete deputados estaduais do
Rio de Janeiro foram presos e outros três que já estavam na cadeia tiveram outros
mandados cumpridos – os dez parlamentares presos representam um sétimo das
70 cadeiras da Alerj.
As investigações apontam que os envolvidos recebiam propinas mensais que
variavam de R$ 20 mil a R$ 100 mil – além de cargos – para votar de acordo com o interesse do governo. O esquema teria movimentado pelo menos R$ 54 milhões,
segundo a PF.
O deputado estadual Chiquinho da Mangueira (PSC), presidente da escola de
samba, foi preso por volta das 7h25 desta quinta-feira; André Corrêa (DEM), seu
colega de Alerj e ex-secretário de Meio Ambiente, às 8h10. Três dos parlamentares
foram presos no ano passado: Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos
do MDB.
As prisões desta quinta-feira são temporárias e não afetam o mandato – cinco dos
pegos foram reeleitos. A Justiça, no entanto, pode convertê-las para preventivas e
afastá-los, o que abriria a vaga para suplentes.
Em um dos endereços, agentes apreenderam joias e dinheiro em espécie, em real,
dólar e euros.

22 mandados cumpridos:

PODER EXECUTIVO
1. Aonso Monnerat, secretário estadual de Governo, preso nesta quinta;
2. Leonardo Jacob, presidente do Detran, preso nesta quinta;
3. Vinícius Farah (MDB), ex-presidente do Detran, eleito deputado federal, preso
nesta quinta.

PODER LEGISLATIVO
1. André Corrêa (DEM), deputado estadual reeleito e ex-secretário estadual de Meio
Ambiente, preso nesta quinta;
2. Chiquinho da Mangueira (PSC), deputado estadual reeleito e presidente da escola
de samba, preso nesta quinta;
3. Coronel Jairo (MDB), deputado estadual não reeleito, preso nesta quinta;
4. Edson Albertassi (MDB), deputado afastado – já preso em Bangu;
5. Jorge Picciani (MDB), deputado afastado – já em prisão domiciliar;
6. Luiz Martins (PDT), deputado estadual reeleito, preso nesta quinta;
7. Marcelo Simão (PP), deputado estadual não reeleito, preso nesta quinta;
8. Marcos Abrahão (Avante), deputado estadual reeleito, preso nesta quinta;
9. Marcus Vinícius Neskau (PTB), deputado estadual reeleito, preso nesta quinta;
10. Paulo Melo (MDB), deputado afastado – já preso em Bangu;

ASSESSORES E AUXILIARES
1. Alcione Chan Andrade Fabri, chefe de gabinete e operadora financeira
de Marcos Abrahão – presa nesta quinta;
2. Daniel Marcos Barbiratto de Almeida, enteado e operador financeiro
de Luiz Martins – preso nesta quinta;
3.Jennifer Souza da Silva, empregada do Grupo Facility/Prol, vinculada a Paulo Melo
– preso nesta quinta;
4. Jorge Luis de Oliveira Fernandes, assessor e operador financeiro
de Coronel Jairo – preso nesta quinta;
5. José Antonio Wermelinger Machado, ex-chefe de gabinete e principal operador
financeiro de André Corrêa – preso nesta quinta;
6. Leonardo Mendonça Andrade, assessor e operador financeiro
de Marcos Abrahão – preso nesta quinta;
7. Magno Cezar Motta, assessor e operador financeiro
de Paulo Melo – preso nesta quinta;
8. Shirlei Aparecida Martins Silva, ex-chefe de gabinete de Edson Albertassi e
subsecretária dos Programas Sociais da Secretaria Estadual de Ciência,
Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social – preso nesta quinta.
9. Carla Adriana Pereira, assessora de registros do Detran – presa nesta quinta

(leia mais G1)