Situação de Comandante da PM em Maringá fica insustentável após declarações

Após a infeliz declaração do Tenente Coronel Enio Soares dos Santos, comandante do 4º Batalhão da Policia Militar em Maringá, durante reunião convocada pelo prefeito Ulisses Maia na manhã desta quarta-feira (23), poderá ter desdobramentos até a próxima semana quanto a sua permanência a frente do Batalhão.
A reunião que ocorreu no Paço Municipal, foi convocada pelo prefeito após uma sequencia de fatos ocorridos na cidade nos últimos dias; onde um cliente foi morto quando realizava compras em um açougue, um médico ficou refém de bandidos durante assalto a sua residência, e outros diversos casos de roubos e arrombamentos em casas e comércios da cidade diariamente, motivando o encontro para discutir e buscar melhorias na diminuição dos índices de violência com representantes da segurança pública e entidades da sociedade civil.
Tudo transcorria dentro do programado, até o Comandante da PM solicitar a palavra e demonstrar números e estatísticas dos serviços prestados pela instituição, destacou o Coronel Enio, que necessita de um maior investimento na conscientização das vítimas para registrarem os ilícitos na Policia, com esses números em mãos, torna o serviço da PM mais ágil na logística e no foco para combater os crimes até mesmo evitar o aumento da criminalidade. Ao encerrar a sua fala, aí que foi o problema, disse que diante dos fatos “prefere comer pizza em casa” (por uma questão de segurança para a sua família), rapidamente o prefeito Ulisses Maia indagou ao Comandante: “Se o senhor está assim, imagina o cidadão comum.”
Ulisses enfatizou que se não há problemas para a Policia Militar seria melhor então encerrar a reunião. O prefeito ergueu o tom de voz ao retrucar o Coronel; “…tanto é que a situação não está boa em Maringá, senão o senhor comeria pizza no restaurante.”

Presidente também se indignou
Se não bastasse o imbróglio entre o chefe do executivo e o comandante da PM, o presidente da Câmara de Vereadores, Mário Hossokawa, também presente a reunião disse que não gostou da forma que o Coronel falava e sempre apontando em sua direção. Hossokawa lembrou que todos estavam ali não para criticar alguém, e sim, para tentarem solucionar o problema da insegurança e de que forma a Câmara e a Prefeitura poderiam ajudar.
Ao final da reunião, o Tenente Coronel Enio Soares dos Santos, pediu desculpas aos presentes por ter sido mal interpretado com a sua fala. Enio está no comando do 4º BPM desde outubro do ano passado, anteriormente comandava o 25º Batalhão de Umuarama, município com 110 mil habitantes.