Prefeitura licita obras de recuperação do Contorno Sul; economia foi mais de 800 mil

Três empresas, duas de Maringá e uma de Chapecó/SC, participaram da licitação para recuperação do Contorno Sul (Anel Viário Sincler Sambatti). Todas as concorrentes foram habilitadas após a análise da documentação jurídica, de regularidade fiscal e trabalhista, da qualificação técnica e econômico-financeira.
A Extracon Mineração e Obras (Maringá) classificou em primeiro lugar tanto no lote 1 (R$ 6.125.796,02) e no lote 2 (R$ 6.505.255,48) resultando mais de R$ 800 mil em economia. O valor máximo global era de mais de R$ 13,4 milhões. A formatação com duas frentes de trabalho simplifica e dá celeridade as obras que têm prazo de 270 dias a partir da emissão da ordem de serviço.
Os recursos resultam de convênio firmado entre o município e o governo estadual, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Logística (SEIL)/Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR). A recuperação do Contorno Sul prevê a recomposição (processo mais profundo que o recape) em 31.559,07 m², fresagem em 27.468,95 m² e recapeamento de pavimento existente com aplicação de C.B.U.Q. (Concreto Betuminoso Usinado à Quente) em área de 164.720,00 m².

A empresa vencedora é responsável pelo fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra. As intervenções contam com serviços de limpeza do pavimento, demolição, desobstrução de sarjetas, recomposição de base com material agregado, pintura de ligação, imprimação com emulsão asfáltica e capa de C.B.U.Q.
O secretário de Serviços Públicos, Vagner de Oliveira, destaca que a obra não é um simples “tapa-buraco” e trará mais fluidez no trânsito e segurança aos condutores. “As intervenções contam com corte de camadas do pavimento e capa de C.B.U.Q de cinco centímetros”, acrescenta.
A recuperação emergencial do Contorno Sul antecede uma reforma integral e definitiva da via. A Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) elaborou projeto que inclui abertura de três novas pistas, viadutos e trincheiras, pontes, além de galerias pluviais, nova sinalização vertical, horizontal e semafórica. O custo estimado é de R$ 225 milhões.

O projeto de resolução definitiva do Contorno Sul é inédito e pode contemplar ainda ciclovia do lado norte que reúne a maior área comercial e residencial. O estudo contempla ainda viadutos e trincheiras na avenida Colombo no trevo com o Contorno Sul, um dos locais com maior problema de trafegabilidade.
Nos principais pontos de ligação entre o lado norte e sul da pista haverá 11 obras de arte, entre viadutos e trincheiras: nas avenidas Pioneiro Antônio Ruiz Saldanha e Pioneiro Maurício Mariani, estrada São José, nas avenidas Carlos Borges e Joaquim Duarte Moleirinho, nas ruas Ataulfo Alves, Guerino Baldo, Domingos Danhoni e Mário José de Ferraz.

Empresas participantes:

Weiller Construção Civil (Maringá)
Extracon Mineração e Obras (Maringá)
Planaterra – Terraplenagem e Pavimentação (Chapecó/SC)