Em carta, Alonso explica decisão de correr na Indy

Na preparação para a disputa das 500 milhas de Indianápolis, Fernando Alonso escreveu uma carta em que explica o motivo de ter deixado de participar do GP de Mônaco da Fórmula 1 para correr pela Indy. No texto publicado no site “The Players Tribune”, espaço dedicado a atletas, o espanhol afirma que não está no evento “para tirar um final de semana de folga ou se divertir”.
Não estou vindo aqui para um fim de semana de folga ou apenas para me divertir. Sou um piloto, vim aqui para correr. Espero levar essa experiência comigo para o resto da minha vida. Espero que as coisas que eu sentir aqui e as coisas que eu ver fiquem na minha mente para sempre”, afirmou.
No início da carta, Alonso relembra que o primeiro kart em que piloto não foi momento para ele. De acordo com o espanhol, seu pai havia montado o carro para a irmã de Alonso, que não tinha tanto interesse pelas corridas, dando espaço ao atual piloto da McLaren.
Assim como meu primeiro kart, este carro (da Indy) não foi construído para mim. Mas vou fazer todo o possível para deixar as pessoas que construíram esse carro orgulhosos. E talvez esse seja o começo de uma nova jornada”, prosseguiu.
Alonso afirma que a decisão de pilotar na prova mais tradicional da Indy se deu pelo seu amor pelo automobilismo. Ao lado do GP de Mônaco e das 24 horas de Le Mans, as 500 milhas são consideradas uma das principais provas.
Eu amava dirigir, mas também amava passar momentos com a minha família. Minha mãe, meu pai, minha irmã e eu sempre íamos correr em diferentes pistas e passávamos um tempo lá. Todos os dias eu corria por horas e então ia jogar futebol no verão da Espanha com meus amigos. Esses dias ainda estão comigo sempre que vou para a pista”.
Aprendi muito sobre pilotar nesses dias, mas o mais importante, aprendi algo sobre eu mesmo: Amo pilotar. Gosto de corridas de verdade. E é por isso que em 28 de maio, no maior final de semana do automobilismo, não estarei com minha equipe da Fórmula 1 no GP de Mônaco. Estarei em Indianapolis, correndo sobre os tijolos, porque eu preciso estar. A Indy 500 é um dos grandes eventos do esporte. Pilotos de todo o mundo sabem disso. Eu pertenço a isso, porque sou um corredor. Sempre fui e sempre serei”, continuou Alonso.
É difícil perder o GP de Mônaco, mas a tradição da Indy também é tremenda. Mal posso esperar pela cerimônia de abertura, a atmosfera. Aqui estou, um piloto veterano, mas é tudo novo para mim: a atmosfera, o circuito, a corrida. Estou muito agradecido pela experiência. Experimentarei e aproveitarei o tempo dentro do carro o máximo que puder”, completou. (inf UOL)