Rapidinhas

317

Dormindo com a inimiga
Rildo Leonardi, prefeito do município de Tibagi, se recupera muito bem do esfaqueamento sofrido. A autora da tentativa de homicídio foi Andréia Barreto Lima, esposa do prefeito. Os motivos da briga do casal ainda não foram revelados. (by Verdelirio Barbosa)

Sem Cumprimentos
Na quinta-feira passada um conhecido jornalista e advogado maringaense se recusou a cumprimentar um presidente de Câmara que havia lhe estendido a mão. Uma vez o então vereador Euclides Zago Alexandre da Silva teve a mesma atitude com o então prefeito Ricardo Barros. (by Verdelirio Barbosa)

Confusão entre Triângulo Consórcios e Somaco
A Triângulo Administradora de Consórcios Ltda. realiza amanhã às 13h assembleia geral ordinária, em hotel de Maringá, e um dos temas será a “problemática” envolvendo os acionistas da Somaco S/A Comércio de Automóveis. Os dois lados vivem especialmente um mês de conflito, por conta da 57ª assembleia geral da concessionária de automóveis, a definição do quadro de acionistas e as razões da deliberação para o afastamento de Nadia Costa Felippe, que também preside a Acim Mulher (Conselho da Mulher Empresária e Executiva).
Teme-se que, a continuar o atrito, venha a se provocar a interferência do Banco Central. (by Angelo Rigon)

Sem surpresa
O portal da transparência da Prefeitura de Sarandi ainda não publicou o andamento da licitação da publicidade, no valor máximo de 650 mil.
Apesar da desatualização do site, a ata com o resultado foi assinada na semana passada. Venceu a Trade, agência que o blog adiantou que iria ganhar há mais de um mês. (by Angelo Rigon)

Briguentos
Aqui o vereador Homero Figueiredo Marchese, do PV, e os blogueiros Ângelo Rigon e Agnaldo Vieira estão em tempos de briga. Em São Paulo a briga é da deputada federal Maria do Rosário, do PT, com Danilo Gentili. (by Verdelirio Barbosa)

Ficou ruim hein
A questão agora é saber se o governador Beto Richa vai poder dizer que é probo se juntamente com a esposa, Fernanda Richa, foram condenados a restituir aos cofres públicos a verba utilizada naquela estadia do casal em um hotel 5 estrelas de Paris, em outubro 2015. (by Lauro Barbosa)

Nome que aparece
Secretário de Inovação e Desenvolvimento Econômico de Maringá, o empresário Francisco Favoto é o nome mais citado quando se fala em pré-candidato a deputado da atual equipe do prefeito Ulisses Maia, para as eleições de 2018. Ele ainda não confirma a intenção. (by Angelo Rigon)

A representante
A mulher maringaense, que já teve Cida Borghetti e Serafina Carrilho representando a cidade na Assembleia Legislativa, poderá voltar a ter uma mulher deputada estadual. O PR poderá lançar Akemi Nishimori, presidente local do partido e esposa do deputado federal Luiz Nishimori, que preside o PR no Paraná como candidata. (by Verdelirio Barbosa)


Chilique I
A posse do Conselho de Gestão Fiscal, na tarde desta quinta-feira (08), teve direito a chilique entre verdes.
O vereador Homero Figueiredo Marchese reclamou do vice-prefeito Edson Scabora crédito na criação do CGF. Pra variar, não é bem assim.
O projeto é de autoria do Executivo – chefiado por Ulisses Maia – e ele apresentou um substitutivo. E isso não conta como autoria.
Scabora levou bronca pública, ficou chato, mas o PV se merece.
PS – O blog soube que, quando o prefeito Ulisses Maia falava, encerrando a cerimônia, ele pediu à assessoria para falar, mas aí já era tarde. Jean Marques já havia falado como representante do Legislativo, assim como os representantes do conselho e da Sefaz. (by Angelo Rigon)

Chilique II
Outro que teve chilique foi o vereador Flávio Mantovani após saber que a prefeitura vai regulamentar os parklets (extensão das calçadas sobre a via). Segundo o edil a ideia é dele e não dos californianos que em 2010 foram os primeiros. (by anônimo)

Redução
A Diretoria de Turismo da Prefeitura de Maringá, ligada à Secretaria de Inovação e Desenvolvimento Econômico, está desidratando.
No começo do ano a diretora Maria Lígia Guedes tinha três funcionários e um estagiário. Agora, a turma ficou reduzida a um funcionário e um estagiário.
O blog soube que o motivo da saída foi o mesmo. (by Angelo Rigon)

Diretoria estuda devolver Parque do Japão
Cresce entre empresários que integram a Oscip que toca o Parque do Japão a ideia de devolver o parque para a Prefeitura de Maringá.
O local, inaugurado oficialmente em 2015, quando foi entregue Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, ainda não conseguiu se viabilizar financeiramente, apesar de receber R$ 44 mil mensais dos cofres públicos.
O repasse, que por iniciativa dos ex-prefeitos Silvio Barros II e Carlos Roberto Pupin está previsto em lei e será feito até maio de 2044, é insuficiente. Empresários bancam a diferença do próprio bolso. (by Angelo Rigon)

Mais rápido
O deputado estadual licenciado e secretário de estado Ratinho Junior (PSD) se antecipou ao senador Álvaro Dias e seu irmão Osmar Dias e já colocou um aliado no futuro Podemos, atual PTN.
O apresentador Paulo Roberto Galo, da Rede Massa, assinou ficha de filiação do Podemos na última semana. O anúncio, inclusive com foto, não foi bem recebido nas trincheiras dos irmãos Dias, principalmente porque a filiação levantou diversos questionamentos. (by Angelo Rigon)

A salvação
Lojistas do Shopping Catuaí Maringá reclamam que caiu muito o movimento naquele shopping, onde diversas lojas foram fechadas. Os que ainda permanecem naquele local acham que a instalação do Supermercado Muffato, esperada para breve, será a salvação. (by Verdelírio Barbosa)

Tem mais
A Rádio Corredor, no paço municipal de Maringá, informa que a saída de Márcia Regina de Souza Rodrigues da Controladoria Geral do Município, primeira mudança no secretariado do prefeito Ulisses Maia, ocorrida ontem, faz parte de uma pequena reforma no primeiro escalão da administração.
Ou seja, outras mudanças viriam pela frente. (by Angelo Rigon)

Influência não republicana
A administração municipal tem conhecimento de que, até o ano passado, uma funcionária da Secretaria de Planejamento de Maringá mandava mais que o secretário, Roberto Petrucci, denunciado pelo Ministério Público já algumas semanas.
A servidora, de carreira, foi transferida de secretaria, mas garantem que ela continua mantendo a mesma influência na Seplan, para dar agilidade a análise de projetos, tramitação e digitalização de documentos. Desconfia-se que alguém esteja lucrando com os favores.
Ou seja, parte do baixo clero continua com costumes pouco republicanos, resultado de 12 anos de mando político num setor técnico e importante como o Planejamento. (by Angelo Rigon)

Esqueceu Maringá
A deputada estadual Márcia Victória Borghetti Barros, ao que parece deixou Maringá onde ela nasceu, em segundo plano. Transferiu o domicílio eleitoral para Curitiba, onde foi candidata a prefeita, criou a Rota da Cerveja Artesanal e deixou Maringá fora, está noiva com o curitibano Diego Campos, e marcou o casamento para a Igreja do Rosário, em Curitiba. (by Verdelirio Barbosa)


Em nome de quem?

No sábado da semana passada em um jantar do Lions o vice-prefeito Edson Scabora esteve presente. Durante seu discurso disse que a atual administração fez muita coisa, que ele aprendeu muita coisa em cinco meses. E não citou nenhuma vez o nome do prefeito Ulisses Maia.
O prefeito Ulisses Maia precisa colocar ordem na casa. Esse negócio de vice na sua casa não existe. A função do vice é substituir o prefeito. O vice não é executivo. (by Verdelirio Barbosa)

Faltou o motivo
O Diário publicou hoje que o jornalista Agnaldo Vieira, do site Maringá Manchete, denunciou à Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público o vereador Homero Marchese, do Partido Verde, por gastar desnecessariamente recursos públicos numa viagem a Curitiba. A matéria está na página 4 da edição deste sábado.
Assim como na recente reportagem sobre o primeiro projeto de lei do vereador – para controlar a mídia e discriminar veículos de comunicação da cidade -, o jornal não cita o motivo que levou Marchese a casmurrar com os blogs de Maringá. Os blogs, em contraponto ao silêncio da chamada mídia tradicional, divulgaram que o vereador do MBL nomeou para seu gabinete um assessor ficha suja, que tem condenação em segundo grau por improbidade administrativa, resultado e uma das várias ações do caso Gianoto-Paolicchi.
A propósito, na quinta-feira, 18, este modesto blogueiro formalizou pedido de informações sobre a nomeação do referido assessor junto à presidência da Câmara de Maringá. Cinco dias depois, na terça-feira, 23, o assessor foi exonerado do gabinete do vereador do Partido Verde. O blog aguarda a resposta oficial do Legislativo, incluindo o parecer jurídico da casa a respeito da nomeação. O assessor permaneceu 141 dias na equipe do vereador do Partido Verde. (by Angelo Rigon)

Parceria
Ulisses Maia (PDT) gravou um vídeo sobre a estruturação do bem-estar animal em Maringá ao lado do vereador Flávio Mantovani (PPS).
Foi o que bastou para circular que o prefeito já tem candidato a deputado estadual. (by Angelo Rigon)

Um projeto personalista
O projeto “Vice-prefeito na casa”, idealizado por Edson Scabora (PV), ainda vai dar rolo.
Além de criar um clima de insatisfação entre boa parte do secretariado, que chegam a ser acionados até três vezes por semana, apregoa à comunidade atribuições que o vice-prefeito legalmente não tem.
O blog soube que o Ministério Público se Maringá teria sido notificado a respeito do uso promocional do projeto.
Sem contar que até entre vereadores discute-se a real finalidade de se mobilizar parte da máquina administrativa para algo tão personalista. Daqui até o final do mês o “Vice-prefeito na casa” deve se repetir mais quatro vezes. (by Angelo Rigon)

Puxão de orelhas I
Diretor de redação de um jornal de circulação local andou levando um “puxão de orelhas” dos diretores na semana passada, por sua atitude hostil com relação a administração municipal. É que sua atitude não teria sido compatível com os fatos e o momento. (by Verdelirio Barbosa)

Puxão de orelhas II
Mais
experiente da turma, o vereador Mário Hossokawa chamou a atenção dos novatos Jean Marques e Do Carmo, que quase se estranharam na sessão ordinária da última quinta-feira.
Hossokawa, em breves palavras, orientou os dois: devem existir respeito no tratamento entre os vereadores, inclusive ao espaço político que ocupam, mas a cidade não foi dividida em capitanias hereditárias.
No bate-boca, reproduzido nesta manhã na Jovem Pan, Do Carmo chuta o vernáculo com um “cidadões”. (by Angelo Rigon)