Você já se viu como realmente está?

artigo

Já é de muito tempo o conhecimento, por parte dos psicólogos, da importância da técnica do espelho, quando o paciente consegue se ver através de uma cena protagonizada pelos outros. Dessa forma ele consegue avaliar a si mesmo, utilizando a crítica que usualmente faz aos outros. Assim consegue enxergar com tal clareza que fica difícil continuar se enganando. Quando essa técnica é utilizada em relacionamentos amorosos, ela adquire uma importância bastante significativa; visto que, em geral, o casal tem o desejo de continuar o relacionamento por muito tempo e, diante de tal técnica, algumas pessoas não teriam sequer começado o relacionamento se conseguissem prever o futuro. Claro que esse procedimento técnico não é utilizado com intuito de separar o casal, mas sim para apontar o que eles estão construindo no presente e no futuro.

Numa determinada utilização da técnica do espelho eu, como psicólogo, protagonizei o problema relatado por um casal. Ela reclamava que o marido lhe era grosseiro e a pressionava por meio de uma postura severa. Ela, por sua vez, relatava que diante dessas situações utilizava a birra para se defender, chegando a ficar três dias sem falar com ele, e o ignorava o máximo possível para que ele se sentisse mal. Diante dessas informações eu os dramatizei fazendo um pedido de casamento:

– Você aceita casar comigo? Prometo que serei grosseiro e agressivo quando você não fizer o que eu quero, fazendo você se sentir pressionada a agir como desejo – falou o marido.
– Sim, aceito. É meu sonho viver todos os dias de casada convivendo com alguém grosseiro e ríspido comigo, fazendo eu me sentir culpada quando não agir como esperado. E você aceita casar comigo? Prometo que serei birrenta, e farei você se sentir mal ao te ignorar por três dias seguidos, sempre que eu não aceitar uma situação imposta por você – Respondeu a esposa
– Sim, aceito. É o que mais desejo, ser ignorado e, se possível, humilhado até que a morte nos separe – respondeu o marido.
Então perguntei para eles se aceitariam um pedido de casamento nesses termos, ambos foram honestos em responder que não.

Diante dessa situação foi possível trabalhar o que eles estavam construindo e o que eles esperavam viver nos próximos anos. Mas essas reflexões só têm efeito terapêutico se eles conseguirem se reconhecer diante de um sofrimento e o quanto eles próprios são responsáveis pelo que estão oferecendo ao outro e, consequentemente, a si próprio. Dessa forma, a técnica do espelho se mostra muito eficiente, pois rapidamente se explicita um problema muitas vezes vivido, no entanto, não conversado e, por conseguinte, não resolvido. As técnicas psicológicas têm a função de servir de catalizador, quer dizer, tem o objetivo de apressar o processo de superação dos problemas. Seja ela por meio de uma investigação, explicitação de um problema, ou mesmo para apontar soluções.

psicólogo Flávio Melo Ribeiro

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia

Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro