Suspeitos de agirem na Uningá são presos pela Polícia Civil de Maringá

Agentes da Seção de Furtos e Roubos (SFR), da Polícia Civil (PC) de Maringá, prenderam na manhã de ontem cinco rapazes suspeitos de participar de um roubo
contra a Uningá – Centro Universitário -, em Maringá. Durante a ação criminosa, ocorrida entre a noite de 31 de dezembro e madrugada do dia 1º de janeiro, dois vigilantes foram feitos reféns e uma soma considerável em dinheiro roubada, além de celulares, equipamentos e veículos dos funcionários.
Segundo o chefe da SFR, investigador Everaldo Fernandes, a investigação revelou que o crime foi premeditado e que os ladrões conheciam não apenas as dependências da universidade, como a quantia que era guardada em um cofre, no setor administrativo.
Para não despertar a atenção, a quadrilha planejou executar o crime na noite de Ano-Novo e invadiu a universidade por volta das 23h50 do dia 31. Armados de revólveres e pistolas, cerca de seis indivíduos não tiveram dificuldades para render os dois vigilantes que cuidavam do prédio e os amarraram com algemas plásticas.
A quadrilha seguiu para uma sala da administração, onde arrombou um cofre e roubou R$ 90 mil, em dinheiro. O grupo deixou o local levando, ainda, dois rádios comunicadores; oito celulares, sem uso; dois coletes balísticos dos vigilantes, além de um carro e uma moto.
Após analisar o método de ação e obter imagens de câmeras revelando a rota de fuga dos assaltantes, a SFR encontrou o carro e a moto abandonados em Sarandi. A sequência das investigações revelou que o crime havia sido idealizado por um grupo de eletricistas que prestava serviço terceirizado à universidade.
Cinco deles tiveram as prisões concedidas pela Justiça.
Na casa de dois suspeitos, a PC encontrou dois celulares roubados e um colete balístico. Na casa de outro suspeito, foi apreendido três quilos de maconha.
Apesar das evidências, apenas um deles admitiu ter participado do crime e contou que gastou parte da divisão – R$ 7 mil – com prostitutas e investiu o restante na aquisição de três quilos de maconha, que seriam revendidos. A droga foi apreendida. Os suspeitos não tiveram os nomes revelados. (inf O Diário)