Só Rindo

Joãozinho chegou muito atrasado à escola e a professora perguntou:
– O que aconteceu?
– Fui atacado por um crocodilo! – responde o menino.
Chocada, diz a professora:
– Oh, meu Deus! Como você está?
Responde o Joãozinho:
– Estou bem, mas o trabalho de matemática ele comeu todinho…


Dois anões resolvem se divertir e vão para a zona. Depois de uns drinques, eles pegam umas meninas e sobem para os quartos.
Mesmo estando animadinho, um dos anões não consegue ter uma boa ereção e por mais que se esforçasse nada conseguia fazer.
Fica ainda mais desapontado ainda quando ouve o seu amigo no quarto ao lado:

– Um, dois, três e… jaaaaaá!
Novamente o anão tenta se entusiasmar, mas… nada.
Passado mais alguns minutos ele ouve novamente seu amigo gritar:
– Um, dois, três e… jaaaaaá!
O anão tenta se animar, encorajado pelos gritos do companheiro no quarto ao lado, mas… nada.
Nem sinal de vida!!!
Passado mais um tempo, ele volta a ouvir:

– Um, dois, três e… jaaaaaaaaá!
Aí ele pensa: “Meu amigo está se divertindo pacas… E eu aqui nesse sufoco sem conseguir nada…” e ouve outra vez:
– Um, dois, três e… jaaaaaaaaaaaaaaaá!
Passada a hora do programa, os anões se encontram para irem embora, um vê o amigo todo suado, descabelado, ofegante, e o que broxou comenta:

– Pô! Foi uma droga! Por mais que eu me esforçasse, não consegui ter nenhuma ereção!
– Ereção? Tu tá preocupado com isso? – responde, perplexo.. – E eu que nem consegui subir na cama!


Um rico fazendeiro casou-se com uma mulher muito pobre.
Deu-lhe casa, carro e emprego para os familiares da esposa.
Todos ficaram felizes e muito bem de vida.
Certo dia, a mulher procurou seus familiares e dizendo:
— Não aguento mais meu marido, vou me separar dele!
O pai imediatamente indagou:
— Mas minha filha! Ele é um bom homem, te ama, te respeita, não anda com outras mulheres, você mesmo disse que ele é um homem perfeito… Por que isto logo agora?
E a filha respondeu:
— É que não aguento mais. Meu marido só quer fazer sexo anal. Não posso me abaixar para pegar nada que lá vem ele e créu.
— Quando me casei, minha “rosquinha” parecia uma moeda de um centavo, agora parece uma moeda de um Real.
O pai concluiu:
— Ora, minha filha, pelo amor de Deus… Não me diga que você vai arrumar essa encrenca toda por causa de noventa e nove centavos, né?


Tudo começou quando a turma de Direito resolveu colocar uma célebre frase em camiseta e ela virou moda no campus:
“Seu namorado não faz direito? Vem cá que eu faço.“

Em seguida, o pessoal de Medicina largou a seguinte:
“Ele pode até fazer direito, mas ninguém conhece seu corpo melhor que eu.”

O pessoal de Administração não deixou para menos:
“Não adianta conhecer o corpo, fazer direito se não souber administrar o que tem!”

Então a turma de Agronomia apareceu com a seguinte frase:
“Uns conhecem bem, outros fazem direito, e alguns sabem administrar o que tem, mas plantar a mandioca como nós ninguém consegue!”

O pessoal da Publicidade largou esta:
“De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar e plantar a mandioca, se depois não puder contar pra todo mundo?”

A turma da Engenharia:
“De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, e poder contar pra todo mundo, se não tiver energia e potência para fazer várias vezes?”

A frase campeã era a da Economia:
“De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência para fazer varias vezes, se mulher gosta mesmo é de dinheiro?”

Mas aí veio frase das meninas do curso de Nutrição:
“De que adianta conhecer bem, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência para fazer várias vezes e ter dinheiro… Se no final das contas a gente sempre precisa ensinar a comer?!”


Quando Haroldo, um belo e promissor jovem Advogado, descobriu que herdaria uma fortuna quando seu pai morresse devido a uma doença terminal, decidiu que era uma boa hora para encontrar uma mulher que fosse a sua companheira para a vida fácil que se avizinhava.
Assim, numa determinada noite, ele foi até o bar da Ordem dos Advogados, onde conheceu uma Advogada, a mais bonita que já tinha visto em toda a sua vida.
Sua extraordinária beleza, o porte elegante, o corpo curvilíneo, a inteligência, a maneira de falar… Deixaram-no sem respiração.
Eu posso parecer um advogado comum – disse-lhe, enquanto iniciava o diálogo para a conquista da musa – mas, dentro de dois ou três meses, o meu pai vai morrer, e eu herdarei 20 milhões de euros.
Impressionada, a bela Advogada foi para casa com ele naquela noite.
Três dias depois, tornou-se sua madrasta.


– Ei posso te fazer uma proposta? – a mulher responde:
– Pode.
– Vou jogar cem reais no chão,no tempo de você se abaixar e pegar os cem reais eu posso fazer o que eu quiser com você.
A mulher pensou e falou:
– Tá ok, mas antes posso falar com uma amiga?
Ele diz ok.
– Alô ana, posso te fazer uma pergunta? A amiga:
– Sim
– Um cara me parou e me fez uma proposta?
– Qual?
– Ele vai jogar cem reais no chão e o tempo de eu pegar o dinheiro ele pode fazer o que quiser comigo. O que você acha?
– Deixa de ser boba! Aceita logo, mas depois me liga pra contar como foi!
Meia hora depois ela liga pra amiga:
– Alô Ana, como foi? Já ganhou os cem Reais?
– Que nada, o desgraçado jogou cem Reais no chão, mas foi de moeda de cinco centavos, ainda tô catando e ele já dando a segunda!


O guarda vê um homem estacionando seu carro em local proibido e pede:
– Tire o carro e pare em outro lugar! Não está vendo a placa de ”proibido estacionar”?
– Estou – responde o motorista.
– E então?
– E então? Então vá tomar banho!
O guarda algema o indivíduo sem mais nem menos e o leva até a delegacia.
– Olha que engraçadinho, delegado. Mandei tirar o carro de um local proibido e ele me mandou tomar banho!
– Ah, é? – diz o delegado com ironia. – E eu? O que você vai mandar?
– Você eu vou mandar vc tomar no cu! – diz o cara.
O delegado fica muito puto, dá uma porrada nos cornos do cara e fala:
– Leva para os fundos e põe o filho da puta no pau-de-arara.
O policial leva o homem até uma salinha e o pendura de ponta-cabeça, quando a carteira do cara cai do bolso aberta no chão: ”JUIZ FEDERAL”
Correndo, o guarda volta à sala do delegado e diz:
– Doutor: o cara é JUIZ FEDERAL!!!
– JUIZ FEDERAL!!! Puta que pariu! E agora? O que nós vamos fazer?
– Bom… eu vou tomar meu banho… disse o guarda.


Em um clube de strip-tease uma mulher escultural fazia o seu show.
Tinha olhos de Gisele Bündchen, peitos de Cicarelli, bunda de Juliana Paes, cabelos de Luana Piovani, barriguinha de Fernanda Lima… Claro que o show estava sendo um sucesso.
Ela tirou a blusa, e os homens aplaudiram. Tirou o sapato, aplaudiram. A meia, a saia, o sutiã e eles aplaudiram.
Depois ela ficou de costas, rebolou, tirou a calcinha e… Ninguém aplaudiu! Então a beldade pediu licença ao público e foi pro camarim, reclamar com o empresário:
— Pô, seu Zé Mineirinho, eu não tô entendendo esses homens! Eu tirei blusa, eles aplaudiram. Tirei o sapato, eles aplaudiram. Tirei o sutiã, a saia, a meia… Toda vez eles aplaudiram… Aí eu virei as costas e mostrei a coisa mais linda que eu tenho, que é a bunda, e ninguém aplaudiu! Fiquei indignada!
E o Zé Mineirinho, calmo:
– Uai, sô… E eles iam aplaudir com uma só mão? De que jeito???

 

Um homem e uma mulher se envolvem num acidente de grandes proporções:
Os carros são inteiramente destruídos, mas por sorte, nenhum dos dois esta ferido. Depois de conseguirem sair do que restou dos carros, a mulher diz:
– Olha só! Você, um homem, e eu, uma mulher, saímos ilesos de um acidentes desses! Só pode ser um sinal de Deus! Ele esta nos dando uma oportunidade para nos conhecermos e ficarmos em paz para o resto da vida!
– Concordo – responde o homem – Isso deve ser um sinal divino!

A mulher continua:
– E olha só, um outro milagre: meu carro ficou totalmente destruído, mas essa garrafa de whisky não quebrou! Deve ser outro sinal. Vamos beber e comemorar esta sorte.
E ela entrega a garrafa ao homem. Ele concorda, abre a garrafa e toma alguns goles diretamente do gargalo e devolve a garrafa a mulher. Ela a pega, coloca a tampa de volta, e a devolve ao homem.
Ele não entende o gesto e pergunta:
– Você não vai tomar?
– Não. Eu vou esperar a policia chegar com o bafometro…


– Doutor, quando eu era solteira tive que abortar seis vezes.
Agora que casei, não consigo engravidar.
– Seu caso é muito comum: É mais difícil reproduzir em cativeiro


Numa cidade do interior, um viajante sem ter o que fazer, foi assistir as tradicionais brigas de galo. Por não entender nada do assunto, pediu ajuda a um homem ao seu lado.
– Por favor, qual é o galo bom, o branco ou o vermelho?
– O galo bão é o branco!
O viajante por mais que depressa, apostou tudo no galo branco. Com 30 segundos de briga, o galo vermelho arrebentou o galo branco. Foi aí que o viajante reclamou:
-Pô! Eu perguntei qual era o favorito e o senhor me falou que era o branco!
– Não sinhô. O sinhô perguntô quar era o galo bão. E o galo bão é o branco.
Se o sinhô tivesse perguntado quar era o marvado…


O cara está na fila do caixa no supermercado quando uma loira escultural lhe faz sinais com a mão e lhe lança um sorriso daqueles. Ele deixa o carrinho das compras na fila, dirige-se a ela e diz:
— Desculpe, será que não nos conhecemos?
Ela responde, sempre com aquele sorriso:
— Pode ser que eu esteja enganada, mas acho que o senhor é o pai de uma das minhas crianças…
Ele puxa pela memória e pergunta a queima-roupa:
— Não me diga que você é aquela stripper que eu comi sobre uma mesa de bilhar, naquela suruba com os meus amigos, completamente bêbado, enquanto uma das suas amigas me flagelava com uns nabos molhados e me enfiou um pepino no traseiro?
— Bem, não… – responde ela, sem graça – Eu sou a nova professora do seu filho!


Um garotão, 25 anos, boa pinta, passou no concurso para Juiz Federal e foi mandado pra uma cidadezinha lá no sertão do Rio Grande do Norte. Ao chegar na cidade, foi logo avisado:
– Doutor, aqui tem um problema. Não tem mulher na cidade. Quando o senhor quiser afogar o ganso, tem que ir lá pra beira do rio.
O jovem juiz, mantendo a pose, disse que não havia necessidade. Mas passando três meses a tensão foi aumentando e o juiz não aguentou. Botou a sua melhor roupa e foi pra beira do rio.
Chegando lá, deparou-se com uma fila de homens e uma jumentinha. Diante da presença do juiz, o povo abriu caminho:
– Olha o doutor aí. Pode passar doutor.
Diante de tanta gentileza e tamanha tensão, o juiz não titubeou: abaixou as calças e créu na pobre jumentinha. Foi quando escutou um Oooohhhh! vindo da fila e um homem exclamou:
– Doutor, a jumenta é pra atravessar o rio. O cabaré é do outro lado!


O sujeito tinha uma esposa escultural, eles se amavam muito e viviam em uma harmonia quase perfeita, por causa de um pequeno detalhe: A sua mulher nunca conseguia atingir o orgasmo!
Um dia ela propôs ao marido:
— Amor, eu sempre tive uma fantasia sexual de transar com você enquanto um homem bem alto e musculoso, vestido como um escravo árabe, ficasse nos abanando… Que tal se tentássemos só pra ver se funciona?
— Tudo bem, meu amor — diz o marido, sem opções e preocupado com o problema.
Então eles ajeitam tudo, chamam um garoto de programa para fazer papel de Eunuco, fazem uma decoração árabe, e começam a transar no tapete, enquanto o garotão sarado, com sua roupa de eunuco árabe, abanava suavemente…
E vai, e vem, e geme e… Nada! A mulher não chegava lá.
E o rapaz, assistindo tudo, foi ficando excitado, ao passo que a mulher, vendo o estado do moço, choramingou ao marido:
— Amor, troca de lugar com o escravo só um pouquinho!
O marido, sem outra alternativa, acabou concordando. Mandou o garotão deitar-se com sua mulher e, desesperado com a situação, começou a abaná-los freneticamente, histericamente, com toda sua força, até que finalmente o orgasmo veio…
O marido então, jogou o abanador em cima do moço, e disse, todo arrogante:
— Está vendo, sua besta? Vê se aprende como é que se abana!


Cientista japonês descobre novo Viagra feminino, o produto é conhecido pelos japoneses pelo nome de KATON.
-“Quando você dá o KATON para mulher, diz o japonês, “ella fica alegre, calinosa, bundosa non Te beija e ablaça o dia inteiro e a noite intelinha”.
Não dá sossego, ella querer tlansar quantas vezes você agüentar.
Só te chama de meu amor, minha vida, te adolo. Te amo! ! !
Aí , perguntaram para o japonês :
– Puxa este produto é fantástico mesmo
– SIM ! SIM ! SIM ! galantido, non , respondeu o japonês: funciona mesmo! Non falha non!
– Perguntaram novamente ao japa, mas o nome é mesmo… KATON
SIM ! ! ! é KATON…
– KATON DE CLÉDITO.


A bichinha vai ao psicólogo dizendo que quer mudar de vida.
– O que o levou a escolher esse tipo de vida? – pergunta-lhe o psicólogo.
– Não foi eu quem escolheu! Fui forçado a isso! Quando eu tinha uns 12 ou 13 anos, estava brincando no jardim lá de casa, quando o meu primo veio por trás, me agarrou e abusou de mim ali mesmo! Foi um horror!
– Mas você não poderia ter escapado? Não tentou correr?
– Tentar eu tentei, mas de salto alto e saia justa, cadê velocidade?!

Duas bichinhas chegam na venda do seu Manoel:
— Seu Manoel, me dá duas bananas, por favor?
— Duas bananas não posso vender, o mínimo são três!
— E agora? O que vamos fazer? — pergunta a outra bicha.
— Não faz mal, boba, a outra a gente come!

Um homem começou a observar que, inesperadamente, seu órgão genital estava ficando mais comprido e ficou extremamente animado com isso.
Mas várias semanas e vários centímetros depois, ele ficou preocupado, seu membro já passava do joelho e a continuar assim, em breve estaria tocando o chão. Resolveu procurar um urologista.
Enquanto sua esposa esperava do lado de fora, o médico o examinou e explicou que, embora raro, sua condição poderia ser corrigida com uma pequena cirurgia.
A esposa do paciente correu ansiosamente até o médico após o exame, e foi informada do diagnóstico e da necessidade de cirurgia.
“Quanto tempo ele vai ficar de muletas?”, ela indagou ao médico.
“Muletas ???”, o médico perguntou.
“Bem, sim, muletas”, a mulher disse.
Por fim, ela questionou:
“O senhor vai alongar as pernas dele, não é?”

Na funerária, duas mulheres trabalhavam preparando os mortos antes de serem levados para o velório.
Certo dia elas receberam um falecido e começaram o trabalho tirando a roupa do homem.
Quando o morto estava pelado, uma das mulheres dá uma olhada no
“negócio” do cara e pergunta pra outra:
– Caramba! Você já viu um assim? – ela tava falando do tamanho da
“coisa” do falecido.
Rapidamente, a outra, que não tinha entendido direito, responde:
– Já. O do meu marido é igual!
Então, a assustada pergunta:
– Desse TAMANHO?
– Não… tá mortinho também!

O passageiro vê aquela linda aeromoça loira, toda sexy, muito da gostosona mesmo, roupa marcada, corpo torneado e moreno, e aí já quase babandopergunta:
– Qual o seu nome?
A gostosuda aeromoça responde:
– Mercedes, senhor!
O passageiro:
– O sobrenome, por acaso, é Benz?
Com aquele sorriso maravilhoso ela responde:
– Exatamente, senhor!
E o passageiro novamente:
– Lindo nome. Alguma relação com o carro?
E a aeromoça com o mesmo sorriso envolvente responde:
– O mesmo preço, senhor!

O padre estava atendendo no confessionário, quando deu nele uma daquelas inadiáveis vontades de ir ao banheiro.
Como as confissões não podiam ser interrompidas, ele chamou uma freira que passava por ali para substituí-lo por alguns instantes.
Deixou com ela uma lista dos principais pecados e respectivas penitências.
A freira, muito solícita, concordou.
A primeira pessoa que se ajoelhou para ela atender, foi uma bichinha, que já foi logo confessando:
– Padre, eu pequei..
A freira, engrossando a voz para se fazer passar pelo padre, disse:
– Qual foi o seu pecado, filho?
A bichinha respondeu:
– Eu dei o cu, padre…
A freira horrorizada foi procurar na lista de pecados, mas não
encontrou nada sobre dar o cu.
Sem saber que penitência deveria dar, pediu licença e saiu à procura do padre.
No caminho, encontrou o coroinha e perguntou:
– O que o padre dá para quem dá o cu?
O coroinha respondeu:
– Pra mim ele dá um Pastel e uma Coca!

O gaúcho chega em uma churrascaria em São Paulo, senta e, indignado, chama o garçom:
– Mas bah, tchê! Na minha terra não tem essa história de cardápio. A gente escolhe a carne cheirando a faca do assador!
O garçom deu um sorriso irônico, mas como não queria perder o cliente, atendeu-o prontamente. Dirigiu-se ao assador da carne, pegou sua faca, que tinha acabado de cortar um cupim, e levou-a ao gaúcho. O gaúcho pegou a faca, colocou-a em frente de seu nariz e exclamou:
– Mas bah! Esse cupim está maravilhoso … me traz um pedaço!!!
O garçom, assustado, serviu o gaúcho e, logo após, buscou a faca utilizada para cortar a costela e deu para o gaúcho, que logo exclamou:
– Mas bah! Essa costela está no ponto … pode trazer!
O garçom, puto da vida com o gaúcho, buscou uma faca e pediu para o cozinheiro:
– André … passa a mão no pau e depois esfregue-a nessa faca!
Dito e feito, o garçom pegou a faca e entregou para o gaúcho. Ele colocou-a em frente de seu nariz, suspirou e disse:
– Mas bah, tchê … como esse mundo é pequeno! Chama o André lá prá mim!!!

Sujeito boa vida, do tipo ‘ispertinho’, resolveu conhecer Minas, e com mais 3 amigas saiu a percorrer os “caminhos das Geraes”.
Numa estrada de terra perto de Jiz de Fora, viram um sitiante
sentado à beira de sua propriedade, que ficava colada à estrada, com
vários animais de fazenda (galinhas, porcos, cães) soltos pelos
arredores.
Notando o jeito calmo do “caboclo”, o ‘ispertinho’ disse às
amigas:
– Vamos nos divertir um pouco com esse caipira!
Descendo do carro, vai logo”puxando uma prosa” com o caboclo:
– Bom dia, mineiro!
– Bom dia, moço!
– O senhor mora aqui?
– Moro sim sinhori.
É dono desses animais?
– Sim, senhor. Essa terrinha e tudo que tem nela é meu.
– Eu vi esses animais e fiquei curioso em saber o nome daquele
porquinho ali, está vendo?
– Ah, sim, estou vendo. Aquele é “ocê”!
As meninas riam da perspicácia do caipira. Porém o malandrinho não desiste:
– A então aposto que aquela porcona lá adiante deve ser a mãe “d’ocê”?
– Qual? Ah, não, moço. Aquilo que “ocê” está vendo nem porca é, mas sim um porco.

E tem mais fio do céu, a mãe “d’ocê”, eu comi ontem!
A mulher era cheia de truques e simpatias com os filhos. Para acabar com um soluço, por exemplo, ela amarrava uma fita com uma medalhinha no pipiu do nenê. Sempre dava certo. Um dia, o marido cai na farra e chega no maior porre em casa, soluçando que nem um desgraçado, acordando todo mundo. A mulher não teve dúvidas, amarrou a fita com a medalha no pipiu do marido, que dormiu como um anjo.
No dia seguinte, quando ele acorda, a mulher pergunta:
– Por onde andou, seu safado?
– Ihhh… sei não. Só sei que tirei o primeiro lugar!

No interior de São Paulo, em uma noite muito escura, um grupo de políticos voltava de um comício em um ônibus. Começa uma chuva intensa e o motorista perde o controle do veículo. O acidente é bem feio, o ônibus sai da estrada e despenca uns dez metros de uma ponte, caindo no pasto de uma fazenda.
Com a barulheira, o fazendeiro acorda e vai investigar o que está acontecendo.
Chegando no local encontra uma cena horrível. Mais que depressa, pega o trator e cava um buraco fundo para enterrar os corpos ali mesmo.
Uma semana depois, um policial vai falar com ele para obter informações do acidente. Começa perguntando:
-Onde foram parar os políticos?
-Uai!? Eu enterrei todos naquele num buraco, ali onde dá pra ver o monte de terra em cima.
-Mas estavam todos mortos? – pergunta o homem da policia intrigado.
-Bom… tinha uns dizendo que não… mas o senhor sabe como esse políticos são mentirosos, não é mesmo?

O sujeito estava viajando de ônibus e nos bancos atrás dele ia um casal de namoradinhos cheios de dengo.
O rapaz apertou a bochecha da namorada e perguntou:
-Dói môr?
-Dói sim.
Aí, ele deu um beijo na bochecha dela e perguntou:
-E agora?
-Agora passou, meu amor.
Em seguida, ele apertou a pontinha da orelha da garota:
-Dói?
-Dói sim.
Ele não teve dúvidas. Deu-lhe um beijo na pontinha da orelha e perguntou:
-E agora?
-Agora já passou, meu anjo.
Aí, o sujeito do banco da frente, já de saco cheio com aquela lenga-lenga, virou para traz e perguntou ao rapaz:
-Escuta aqui, Dr. Beijo Milagroso… Curas hemorróidas?

Marido e mulher estão tomando cerveja num barzinho. Ele vira pra ela e diz:
– Você está vendo aquela mulher lá no balcão, tomando whisky sozinha? Pois eu me separei dela faz sete anos! Depois disso ela nunca mais parou de beber.
A mulher responde:
– Não diga bobagens. Ninguém consegue comemorar durante tanto tempo.

Um homem decide desabafar com um amigo:
– Eu tinha tudo! Dinheiro, uma casa bonita, um carro desportivo, o amor de uma linda mulher, e então… tudo acabou.
– O que aconteceu? – perguntou intrigado o amigo.
Explica o homem:
– A minha mulher descobriu…

Na sala de aula a professora pergunta para a Mariazinha:
– “Qual a capital de Sergipe?”
Depois de pensar um pouquinho, ela responde:
– “Não sei, professora!”
E a professora:
– Eu vou lhe dar uma dica: “uma parte do nome é uma coisa que a gente come”.
Mariazinha pensa mais um pouquinho:
-“Já sei! Aracaju!”
A professora:
– “Isso mesmo, parabéns!”
E o Joãozinho:
-“Eu pensei que fosse Cuiabá, professora”

Entre amigas intimas, diz uma:
– Há dois anos que dura a minha relação com meu namorado e parece-me que já é tempo de nos casarmos. Que achas?
A amiga:
– Queres mesmo o meu parecer?!
Olha, o melhor é deixá-lo continuar a ser feliz por mais uns tempos…

Uma vez aconteceu a maior suruba no reino animal.Era girafa transando com jacaré, zebra com papagaio, lagartixa com rinoceronte,etc… O leão, rei dos animais, não estava gostando nada daquilo, e falou:
– O bando de animal! Vamos dar um jeito nisso! Assim não dá! Desse jeito o reino animal vai acabar. Vocês tão fazendo uma suruba sem vergonha, tao espalhando doença pro reino todo!
Pelo menos vocês poderiam fazer que nem o jumento, que esta usando camisinha! Aí o papagaio falou:
– O leão! Pera aí! O jumento não tá de camisinha não! Ele tá comendo a cobra!

Um psicólogo fazia testes para admissão de novos candidatos em uma empresa e seleção:
– O senhor pode contar até dez, por favor?
– Dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um.
– Por que você contou de trás pra frente?
– É que eu trabalhava na Nasa.
– Sinto muito, está reprovado. Entra o próximo:

– O senhor pode contar até dez, por favor?
– Um, três, cinco, sete, nove, dois, quatro, seis, oito, dez.
– Por que você contou primeiro os ímpares e depois os pares? – Porque eu trabalhava como carteiro.
– Sinto muito, está reprovado. Entra o próximo:

– O senhor pode contar até dez, por favor? -1,2,3,4,5,6,7,8 e 1,2,3,4,5,6,7,8
-Por que o sr só contou até oito
-Por que eu era dançarino
-Sinto muito, está reprovado Entra o próximo:

– Antes de começarmos, por favor me diga uma coisa, o que o senhor fazia em seu emprego anterior?
– Eu era estagiário. Fazia faculdade.
– OK.Excelente. O senhor pode contar até dez?
– É claro. Ás, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, dama, valete e rei. Truuuuco, ladrão!

Os dois caras já estavam completamente bêbados quando um fala para o outro:
– Vamos toma um porre ?
– Vamos ? Quanto você tem aí ?
– Cinqüenta. Eu tenho cinquenta! e mostra a moedinha. Quanto cê tem?
– Tenho 1 e vinte!
– Não vai dar…
– É, não vai… Os dois cambaleando até que um teve uma ideia:

– Tive uma ideia! A gente compra uma linguiça com o dinheiro, vai para o bar e toma um monte. Aí, cê se abaixa eu ponho a linguiça para fora, cê começa a chupar e o dono do bar vai ficar tão puto que nos não vamos pagar…

– Tá bão, então vamos… E compraram a linguiça e foram para o bar.

Tomaram até sair pela orelha. Aí um se abaixou e começou a chupar a linguiça. O dono do bar ficou puto e os dois saíram sem pagar…
– Beleza, num disse ! Vamos pra outro bar !
– Agora ! E assim foram, uns 3 bares. Aí o que tava chupando a linguiça:
– Oh, não é por nada, mas será que dá pra trocar um pouco ?
Tô ficando cansado de chupar.
No próximo bar é sua vez, tá ? – Tá bom.
Só que não fica chateado? é que eu perdi a linguiça depois do primeiro bar..

Num diminuto lugarejo da Suécia havia um lenhador extraordinário: baixinho, miudinho, magrinho, mas, diziam, conseguia derrubar dez árvores em dez minutos.
Sua fama, como era de se esperar, espalhou-se pelo mundo afora.
A CNN mandou um repórter entrevistá-lo:
– Quer dizer que você derruba dez árvores em dez minutos?
– às vezes mais.
– E qual foi o seu primeiro emprego?
– Deserto do Saara!
– Peraí … No Saara não tem floresta alguma.
– HOJE!

Guia do Sexo para Idiotas
1. Sexo oral não significa sexo falado.
2. Uma camisinha não é necessária se você está apenas querendo se masturbar.
3. Herpes não é o nome de um deus grego.
4. Contracepção oral vai além de apenas dizer “não”.
5. Para não se caracterizar como crime, consentimento mútuo é obrigatório.
6. Nenhuma mulher está tão desesperada para trepar com você na primeira vez. Se isso acontecer, lembre-se de pagá-la, senão você corre sérios riscos de agressão física.
7. Abstinência não é uma das posições do Kama-Sutra.
8. Não conte para sua paquera que você tem um complexo de Édipo.
9. Uma boa frase a evitar é: “eles tiraram 80% na minha circuncisão”.
10. Velocidade não é uma virtude.
11. Quando ela disser “Mais fundo, querido”, não significa que você tenha que atingir suas amígdalas.
12. Se por acaso ela parecer sem ar, não é necessário chamar os paramédicos.
13. Quando ela disser “aí está ótimo!”, não significa que você tenha que passar os próximos 25 minutos concentrado no mesmo lugar.
14. Não se gabe do tamanho do seu pênis. Ela pode ter um ataque de risos.
15. Sexo animal, não significa sexo com animais.
16. Sexo seguro, não significa sexo sob quatro paredes.
17. Fazer amor, não significa que ela é Hippie.
18. Fazer um 69, não significa apostar no jogo do bicho.
19. Jogar charme não significa arremesso de desodorante, nem de cigarro.
20. Quando ela disser “Mais rápido, mais rápido”, não é porque tem pressa.
21. Quando ela disser “Querido, primeiro as preliminares”, não estará falando do campeonato brasileiro de futebol.
22. Se você ainda acredita que irão ao Motel apenas para ver TV, tomar um banho ou porque não tem mais nada para fazer num sábado a noite, gostaria de avisá-la que Papai Noel, coelho da Páscoa e Saci não existem também.
23. Não. Transar dentro de um fusca não é engraçado.

Uma mulher, completamente despida, entra no bar e pede uma cerveja.
O dono do bar olha para ela dos pés à cabeça, depois vai ao frigorífico e pega uma gelada.
Ela toma rapidamente, mas como Ainda não ficou satisfeita pede outra.
O dono do bar, sem sair do lugar, olha para a mulher, olha, olha, olha, fica a olhar, olha e olha de novo, até que a mulher se aborrece é diz:
– O senhor nunca viu uma mulher nua, não?!
E o dono do bar tranquilamente responde:
– Ver eu já vi, só estou tentando perceber de onde você vai tirar o dinheiro pra pagar as cervejas…

– Boa tarde, Doutor. Com licença…
– Boa tarde. Faça o favor de sentar-se, minha senhora.
– Então… e de que se queixa a Sr.ª, D. Maria da Luz ?
– Ai, Doutor… tenho um problema mas…. não fico muito à vontade, e nem sei como começar…
– Não tem nada que se envergonhar, seja o que for. Os médicos não julgam ninguém.

– Doutor, eu me levanto e sinto logo umas coisas, uns calores, uma vontade muito grande… sabe ? Só me passa fazendo amor, mas como o meu marido sai cedo de casa, eu vou à janela e chamo o primeiro que passar. Fazemos amor, e fico quase bem… Pra ficar completamente calma tenho que chamar outro. À tarde é a mesma coisa, faço amor com três ou quatro e me agüento até à noite. Ando com um bocado de vergonha e muito inquieta, por não saber o que é isto… O Dr. sabe o que eu tenho ?… É alguma coisa ruim ???…

– Bom, pelos sintomas trata-se de um distúrbio do comportamento sexual que se denomina “ninfomania”.
– Ninfoquê, Doutor?
– Ninfomania, nin-fo-ma-nia.
– O Doutor não se importa de escrever o nome aí num papel, pra eu mostrar lá no bairro pros que tão me chamando de puta.

O pintor e um ajudante estavam trabalhando num andaime no 10º andar de um prédio novo. Chegou uma hora que o ajudante sentiu vontade de mijar.
-A gente pode descer pra eu mijar? – pergunta ele ao pintor.
-Nem a pau! Vamos perder muito tempo! Mija daí mesmo!
-Como?
-Vai até a ponta daquela tábua ali e mija.
-Mas ela vai cair!
-Não vai, não! Eu fico na outra ponta para fazer o contra-peso.
Logo que o ajudante abre o ziper e tira o pinto para fora, toca o celular do pintor e ele vai atender.
O coitado do ajudante despenca lá de cima e se esborracha lá embaixo.
Logo depois a polícia tava lá obra tentando entender o que tinha acontecido. Quando perguntaram pro outros operários da obra, alguém arriscou um palpite:
– Sei não dotô, mas acho que foi “pobrema de xexo”!
– “Pobrema de xexo”? Como assim, pergunta o policial.
Aí o peão responde:
– “Pobrema de xexo”, sim! Eu vi ele caindo… ele tava com o pinto na mão e tava gritando: “Cadê aquele viado? Cadê aquele viado?”.

Três amigos viajavam pela Europa dormindo sempre num único quarto, porque a grana andava curta.
Certa feita, encontraram um hotelzinho tão vagabundo que só tinha uma cama de casal e, como já era tarde, resolveram passar a noite ali mesmo.
Deitaram-se os três lado a lado e um deles, que tinha um mal hálito terrível, foi orientado para que, quando quisesse falar, cutucasse os outros dois, de maneira que eles poderiam se defender, enfiando a cabeça debaixo da coberta.
No meio da noite, o do mal hálito acorda e cutuca os amigos.
Estes enfiam a cabeça debaixo da coberta e perguntam:
– O que foi Joãozinho?
E ele:
– Peidei!

O bêbado chega na entrada de uma boate, acompanhado de um amigo:
– Ei, você! – diz ele para o porteiro – Poderia me dar uma (hic) informação?
– Hunpf! – resmunga ele – Fala logo!
– É que eu fiz uma aposta aqui com o meu amigo (hic) e queria confirmar com você… Fala pra ele… É ou não é verdade que a privada aqui é de ouro?
– Simão! – grita o porteiro, virando-se trás – Tá aqui o corno que cagou no seu trombone!

O farmacêutico entra na sua farmácia e nota um homem petrificado, com os olhos esbugalhados, mão na boca, encostado em uma das paredes.
Ele pergunta para o auxiliar:
– Que significa isto. Quem é a pessoa que está encostado naquela parede?
– Ah! É um cliente. Ele queria comprar remédio para tosse. Como está caro e ele não tem dinheiro, vendi para ele um laxante.
– Ficou maluco! Desde quando laxante é bom para tosse?!
– É excelente. Veja o medo que ele tem de tossir!

O sujeito entra num bar, senta-se à mesa e logo o garçom aparece para atendê-lo.
– Axé meu Rei, o que o Senhor toma?
– Eu tomo vitamina C pela manhã, o ônibus para ir ao serviço e uma aspirina quando tenho dor de cabeça.
– Oxi não fui claro. Quis dizer o que é que o Senhor gostaria?
– Ah! Tudo bem! Eu gostaria de ter uma Ferrari, de uma noitada com a Feiticeira e mandar a minha sogra para o inferno.
– Não é nada disso, meu Senhor! – continuou o garçom, ainda calmo.
– Eu só gostaria de saber o que o Senhor deseja beber.
– Ah! é isso? Bem… o que é que você tem? E o garçom:
– Eu? Nada, não! Só tô um pouco chateado porque o meu time perdeu pro Galo do Cumpadi! Enchi a cara de cachaça e fui me deitar com a loira, mas descobri da pior forma possível, que no lugar de risquinho tinha ela tinha era um pauzinho.

Três amigos se encontram, durante um almoço…
– O que você tá fazendo na vida, João (ex-executivo da Pirelli)?
– Bem… eu montei uma recauchutadora de pneus. Não tem aquela estrutura e organização que havia quando eu trabalhava na Pirelli mas vai indo muito bem…
– E você, José (ex-gerente de vendas da Shell)?
– Eu montei um posto de gasolina. Evidentemente também não tenho a estrutura e a organização do tempo que eu trabalhava na Shell, mas estou progredindo…
– E você Antônio (ex-alto funcionário do Congresso Nacional)?
– Eu montei um puteiro.
– Um puteiro???
– É claro que não é aquela zona toda que é o Congresso Nacional, mas já tá dando algum lucro…

O velho Hans trabalhou na cervejaria por muitos anos, mas um dia ele não estava prestando atenção, tropeçou e caiu dentro de um daqueles tanques de cerveja e se afogou.
O dono da cervejaria achou que era a obrigação dele de informar a viúva da morte do Hans e tocou a campainha.
Quando Helga apareceu na porta ele disse:
– Lamento ter que lhe informar que o velho Hans veio a falecer no trabalho hoje, quando caiu no tanque de cerveja. Se afogou.
Helga chorou e cobriu o rosto com o avental e depois de um tempo, entre soluços perguntou:
– Me diga, será que ele sofreu?
E o dono da cervejaria:
– Eu não creio…
– Os imagens do câmera de segurança mostram ele saindo do tanque três vezes.
– Nos três vezes, saiu e foi dar um mijada…

A escola leva os seus alunos até uma delegacia para que os alunos aprendam como a policia trabalha.
Joãozinho vê um cartaz com várias fotos dos assaltantes mais procurados. Ele aponta para uma das fotos e pergunta ao policial:
– Esse bandido é realmente perigoso?
– É sim, filho – responde o guarda. – Os investigadores estão caçando-o já faz oito meses.
Joãozinho responde:
– Por que vocês não o prenderam quando tiraram a foto?

Um burro morreu bem em frente duma Igreja e, como uma semana depois, o corpo ainda estava lá, o padre resolveu reclamar com o Prefeito.
– Prefeito, tem um burro morto na frente da Igreja há quase uma semana!
E o Prefeito, grande adversário político do padre, alfinetou:
– Mas Padre, não é o senhor que tem a obrigação de cuidar dos mortos?
– Sim, sou eu! – respondeu o padre, com serenidade. – Mas também é minha obrigação avisar os parentes!

ESPOSA: Se eu morresse tu casavas outra vez?
MARIDO: Claro que não!
ESPOSA: Não?! Não porque?! Não gostas de estar casado?
MARIDO: Claro que gosto!!!
ESPOSA: Então porque é que não casavas de novo?
MARIDO: Esta bem casava…
ESPOSA (com um olhar magoado): Casavas?
MARIDO: Então?…
ESPOSA: E dormias com ela na nossa cama?
MARIDO: Onde é que tu querias que nós dormíssemos?
ESPOSA: E substituías as minhas fotografias por fotografias dela?
MARIDO: É natural que sim…
ESPOSA: E ela ia usar o meu carro?
MARIDO: Não. Ela não dirige…
ESPOSA: (silêncio)
MARIDO: (Merda… Merda… Merda!!!)

Um sujeito bate à porta e uma distinta senhora o atende.
– Bom dia, a senhora tem filhos?
– Não senhor.
– Tem cachorro ou gato?
– Não senhor.
– Tem rádio ou auto-falante potente?
– Também não.
– Toca algum instrumento?
– Não… Mas será que eu posso saber por que tantas perguntas? O senhor é fiscal? Trabalha no CENSO de ridículo?
– Não, minha senhora, perdão deixe-me apresentar, Sergio Atallah. É que eu estou interessado em comprar a casa ao lado!

Um gaúcho se encontra com o outro:
– Barbaridade, tchê. Estou voltando de São Rafael do Descampado! Que cidade, piá!
– Gostou?
– Gostei nada. Lá só tem prostituta e jogador de futebol.
– Pera lá, vivente. Minha mãe vive lá!
– Ihhh, rapaz, tá jogando um bolão!

De manhã, o pai bate na porta do quarto do filho:
– Acorda, meu filho. Acorda, que está na hora de você ir para o colégio.
Lá de dentro, estremunhado, o filho respondeu: – Pai, eu hoje não vou ao colégio. E não vou por três razões: primeiro, porque eu estou morto de sono; segundo, porque eu detesto aquele colégio; terceiro, porque eu não aguento mais aqueles meninos.

E o pai respondeu lá fora:
– Você tem que ir. E tem que ir, por três razões: primeiro, porque você tem um dever a cumprir; segundo, porque você já tem 45 anos; terceiro, porque você é o diretor do colégio.

Um avião com dois políticos muito amigos, cai na floresta. Não há sinal de celular, os equipamentos de comunicação do avião não funcionam e os dois não têm outra escolha senão pegar as suas maletas e sair andando até encontrar ajuda.
No meio da caminhada surge um leão babando de fome olhando para os dois.
Um deles se abaixa rapidamente, tira um tênis da mala e começa a calçá-lo.
O outro não entende.
– Seu idiota! Você acha que vai correr mais que o leão com esse tênis?
– Não companheiro, eu não preciso correr mais que o Leão faminto
– Eu só preciso correr mais do que você.

Um anão foi à praia em Ipanema pela primeira vez. Voltou para o circo todo entusiasmado.
– Que tal a praia? – perguntou-lhe o gigante.
– Uma beleza! – respondeu o anão. – Cada joelho!!…

Um português telefona pra agência de viagem:
– Por favor, quanto tempo leva um avião pra Lisboa?
– Um minuto…
– Obrigado – e desligou.

Um maluco telefona pro corpo de bombeiros, informando que está pegando fogo no hospício. Menos de dez minutos, olha as viaturas chegando no local. Os bombeiros saltam do carro e o comandante pergunta:
– Onde é o fogo?
E o louco:
-Vocês vieram tão depressa que eu ainda não acendi!

Um bêbado está cambaleando pela rua e dá de cara com uma freira. Tentando conscientizá-lo, ela diz:
— O senhor sabia que o Brasil é o segundo país do mundo em consumo de álcool?
— Isso é culpa desses crente!
— Como dos crentes? – pergunta a freira, indignada – Se crentes não bebem álcool!
— Pois é… (hic) Se eles bebesse um pouco nóis tava era em primeiro!

Um sujeito chega no barbeiro e pergunta:
– Em quanto tempo o senhor pode me atender?
– Duas horas – responde o barbeiro.
Ele vai embora e só volta no dia seguinte, fazendo a mesma pergunta.
O barbeiro olha o caderno e diz:
– Duas horas e meia.
Ele vai embora e volta no dia seguinte, com a mesma pergunta.
– Uma hora e meia – responde o barbeiro.
Como esta história se repete todos os dias, o barbeiro começa a ficar curioso e pede para o ajudante seguir o sujeito para ver qual é a dele. O ajudante volta quinze minutos depois, sem conseguir segurar o riso. O barbeiro pergunta:
– E aí, aonde é que ele foi?
O ajudante responde:
– Para sua casa.

Um fazendeiro chega para um caipira e diz:
-Zé, dô 200 Reais na sua mula.
-Fechado, amanhã trago ela aqui pra ocê.
No outro dia o caipira, dono da mula, chega tristonho e diz ao fazendeiro:
-Óia, a mula que o sinhô comprô e pagô ontem a mim, morreu!
-Morreu ? Então me devorvi meu dinheiro!
-Já gastei!
-Então me dá a mula!
-A mula morta ?
-Sim, a mula morta, me dá que eu vou rifá ela.
-Vai rifá uma mula morta ? E quem vai comprá ?
-Todo mundo, deis que num sabe que ela tá morta, ora. E ocê num vai falar pra ninguém, ouviu Zé ? Se não eu tomo os 200 Reais que eu te dei.
Passado algum tempo, o caipira Zé encontra o fazendeiro, e a curiosidade veio à tona.
-E aí, rifô a mula ? No que deu ? Como Foi ?
-Rifei, fiz 100 bilhete a 20 Reais cada, vendi tudo e ganhei R$2000!
-E num teve ganhador ?
-Craro que teve, Zé!
-E o que ocê fez ?
– Pedi discurpa a ele, disse que a mula tinha morrido e devorvi os 20 Reais dele, uai ?

Um francês, um inglês e um brasileiro estão no Louvre, diante de um quadro de Adão e Eva no Paraíso.
Diz o francês:
– Olhem, como os dois são bonitos! Ela alta e magra, ele másculo e bem cuidado; devem ser franceses!
E o inglês:
– Que nada! Veja os olhos deles, frios, reservados… só podem ser ingleses!
E o brasileiro:
– Discordo totalmente! Olhem bem!… não têm roupa, não têm casa, só possuem uma maçã pra comer e ainda pensam que estão no paraíso…… Só podem ser argentinos!

Um casal estava dormindo profundamente, como inocentes bebês.De repente, lá pelas três horas da manhã, escutam ruídos fora do quarto.
A mulher se sobressalta e, totalmente espantada, diz para o homem:
– Aaaaaiiiiiii!!!! Meu Deus, deve ser o meu marido!
O cara se levanta espantadíssimo e peladão, pula como pode pela janela e cai em cima de uma planta com espinhos.
Em poucos segundos volta pela mesma janela, todo machucado e grita:
– Desgraçada!!!! Teu marido sou eu!!!

A esposa com o aniversario chegando joga uma indireta no marido:
– Amor, meu aniversário está chegando e quero um presente bem legal. Vou te dar uma pista: vai de zero a cem em menos de 5 segundos, pode ser de qualquer cor.
No dia do aniversario a mulher encontrou um pacote no quarto com uma balança de banheiro cor de rosa, novinha.
Ah, a propósito, o marido continua desaparecido.

Antigamente, quando uma moça conhecia um rapaz gentil e educado perguntava logo se era solteiro.
Hoje, pergunta se é viado.

Um homem e uma bonita mulher estavam jantando á luz de velas num restaurante de luxo.
De repente o garçom notou que o homem escorregava lentamente para debaixo da mesa.
A mulher parecia não reparar que o companheiro tinha desaparecido.
– Perdão senhora, disse o garçom: mas eu acho que seu marido está debaixo da mesa.
– Não está não, disse a mulher, olhando calmamente para o garçom. Meu marido acabou de entrar no restaurante.

No julgamento:
Juiz: Qual sua idade?
Velhinha: Tenho 76 anos.
Juiz: No dia 1º de abril do ano passado, diga-nos, com suas próprias palavras, o que lhe aconteceu.
Velhinha: Estava sentada no balanço de minha varanda, num fim de tarde suave, quando um jovem sorrateiramente senta-se ao meu lado.
Juiz: Você o conhecia?
Velhinha: Não, mas ele foi muito amigável.
Juiz: O que aconteceu depois?
Velhinha: Depois de um bate-papo delicioso, ele começou a acariciar minha coxa.
Juiz: A senhora o deteve?
Velhinha: Não.
Juiz: Por que não?
Velhinha: Foi agradável. Ninguém nunca mais havia feito isto desde que meu marido faleceu há 30 anos.
Juiz: O que aconteceu depois?
Velhinha: Acredito que pelo fato de não tê-lo detido, ele começou acariciar meus seios.
Juiz: A senhora o deteve então?
Velhinha: Mas claro que não.
Juiz: Por que não?
Velhinha: Porque, Meretíssimo, me fez sentir viva e excitada. Não me sentia molhadinha assim há anos!
Juiz: O que aconteceu depois?
Velhinha: Ora Sr. Juiz, o que poderia uma mulher de verdade ardendo em chamas, já de noitinha, diante de um jovem ávido por amor? Estávamos à sós e abrindo as pernas suavemente, disse: Me possua, rapaz!
Juiz: Ele a possuiu?
Vehinha: Não. Ele gritou: 1º de abriiill!!!! Foi aí que eu dei um tiro no filho da puta…

Estava rolando a maior festa na selva, quando o elefante, já meio mamado, perguntou para o camelo:
– Fala aí, camelo! Me diz uma coisa, por que você tem as mamas nas suas costas?
O camelo não deixou barato e respondeu:
– Sabe que essa é uma pergunta bem estranha… Afinal, ela vem se alguém que tem o pinto na testa…

Duas loiras peruas se encontram.
– Magali, que blusa linda você está usando!
– Você gostou? é de uma lã especial! Foram necessárias oito ovelhas para confeccioná-la!
– Noooossa, que chique! E eu nem sabia que já tinham ensinado ovelhas a costurar!!!

***

A loira andava preocupada pois achava que seu marido estava tendo um caso extra conjugal.
Decide ir a uma loja onde se vende armas e compra um revólver.
No dia seguinte, volta para casa mais cedo que o habitual e encontra seu marido na cama, com uma ruiva espetacular.
Desesperada e infeliz a loira aponta a arma para a própria cabeça.
O marido pula da cama, implora e suplica para que ela não se mate.
Aos berros, a loira responde:
– Cale a boca, cretino …Você é o próximo!

***

No psiquiatra a loira É interpelada:
– Costuma escutar vozes sem saber quem está falando ou de onde vêm?
– Sim… costumo!
– E quando isso acontece?
– Quando atendo o telefone!
O marido estava sentado, quieto lendo seu jornal, quando sua mulher furiosa, vem da cozinha e senta-lhe a frigideira na cabeça.
Espantado, ele levanta e pergunta:
– Por que isso agora muié?
– Isso é pelo papelzinho que eu encontrei no bolso de sua calça,com o nome Marylu e um número…
– Ahh… Isso?!
Querida, lembra do dia em que fui na corrida de cavalos?
Pois é… Marylu foi a égua em que eu apostei e o número foi o quanto estavam pagando pela aposta!
Satisfeita, a mulher saiu pedindo 1000 desculpas.
Dias depois, lá estava ele novamente sentado, quando leva uma nova porrada, só que dessa vez com a panela de pressão.
Ainda mais espantado (e zonzo), ele pergunta:
– O que foi dessa vez, meu amor???
– A égua ligou…

Havia concluído um curso no Rio de Janeiro e fui classificado em um Departamento, em Brasília, juntamente com outro companheiro.
Este, ao se apresentar, foi conhecer a Assessoria para a qual foi designado como Chefe.
Vieram seus integrantes se apresentarem ao novo Chefe:
– Major Fulano, Adjunto…
– Ten Beltrano, Auxiliar…
Depois que todos fizeram suas apresentações, foi a vez de D. HELDA, funcionária civil com mais de 25 anos de serviço:
– Coronel meu nome é HELDA, funcionária civil responsável pelo protocolo.
O Chefe pediu que ela repetisse o nome.
– HELDA, com H, frisou bem.
No dia seguinte, ao entrar na Assessoria, o Coronel foi cumprimentando todos pelo nome:
Bom dia Fulano, Bom dia Beltrano…
Para os militares era fácil dizer os nomes pois estavam nos biribas sobre os bolsos, mas a funcionária não tinha biriba e veio aquela lembrança do dia anterior quando ela frisou bem: “com H”. O Coronel, então encheu os pulmões e cumprimentou-a:
– Bom dia, Dona HOSTA.

Dois caipiras vão para a capital. Chegando hospedam-se em um hotel fino. Estavam morrendo de fome e entram no restaurante do hotel. Sem saber direito o que pedir, resolvem imitar um sujeito com cara de rico que estava na mesa do lado. O rico pede uma entrada e os dois caipiras:
-Garçom, pra “nóis” também. O rico pede um prato lá todo especial e os dois caipiras: -Garçom, pra “nois” também. O rico resolve repetir o prato e os dois caipiras -Garçom, pra “nois” também.
E a coisa continua deste jeito, mas os caipiras ainda tão com uma fome “danada”. O rico termina e diz ao garçom:
-Poderia arrumar-me um engraxate?
Os dois caipiras: -Garçom, para nois também.
O rico ouvindo isto diz aos caipiras: -Olhem, meus amigos, eu creio que um engraxate para nos três é o suficiente. E os caipiras respondem rapidinho:
-Nada disso! Ocê come o seu que a gente come o nosso!