Sem o prestígio de antes?

37

No encontro regional de lideranças do partido Progressista realizado no município de Sarandi no último sábado, sobrou cadeiras vazias no recinto.
O local estava preparado com aproximadamente 200 assentos, constatou-se que o público não passou de 100 pessoas durante toda a manhã, tendo após o encerramento um saboroso almoço servido.
Uma das lideranças presentes, foi a do atual ministro da Saúde, Ricardo Barros, que ao final do seu discurso por volta do meio-dia, falou para uma plateia de pouco mais de 80 pessoas. Em qualquer outra cerimônia que envolvesse nomes da família Barros, anteriormente a perda da eleição para prefeito de Maringá,  era evento lotado e disputado até pela imprensa local.
Cremos que a derrota do irmão mais velho de Ricardo, Silvio Barros, para a prefeitura da cidade em 2016, contribui de forma ainda não estimada a proporção que representará nas próximas eleições do ano que vem. Um evento desta magnitude, com a presença de um Ministro da Saúde, mesmo que aberto aos membros de um só partido, normalmente sobrariam pessoas em pé e se estapeando para adentrarem ao recinto. Vale lembrar que havia lideranças regionais, como vereadores de outros partidos prestigiando.
Em seu discurso, Barros não deixou a peteca cair, disse que faz política dessa forma, gostem ou não, e tem dado certo; afirmou que elegerá a mulher, Cida Borghetti, a próxima Governadora do Paraná, principalmente por que assumirá o cargo efetivamente ano que vem com a licença de Beto Richa para concorrer ao cargo de Senador.