Secretário pede averiguação e providências em relação ao pouso de helicóptero no estádio

O pouso de um helicóptero no gramado do Estádio Regional Willie Davids, domingo, logo depois do encerramento do jogo entre Maringá FC e FC Cascavel, pode parar na Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes e Incidentes do Controle do Espaço Aéreo.
Ontem (12), o secretário de Esportes e Lazer, Valmir Fassina, encaminhou ao superintendente da SBMG/Aeroporto Regional de Maringá, Fernando José Rezende, ofício em que pede averiguação sobre eventual autorização e que sejam tomadas as providências necessárias em relação ao ocorrido, até mesmo para que fatos semelhantes não se repitam.


Fassina lembra que a secretaria só tomou conhecimento na hora do pouso, e pede averiguação sobre a existência de autorização por parte dos órgãos competentes. “Salientamos que era final de partida, e haviam pessoas, inclusive crianças, no local, e devemos preservar a integridade dos mesmos”, frisa.
O diretor administrativo da Sesp, Marco Aurélio Saldanha Rocha, também assina o ofício, enviado ontem à SBMG. Fotos acompanham o documento. O aparelho desceu pouco antes da partida, com diretores do FC Cascavel, na Vila Olímpica e, com o fim do jogo, desceu no gramado para que os passageiros fossem embarcados.
De acordo com as regras da Agência Nacional de Aviação Civil, é necessária solicitação de autorização da Anac para pouso eventual de helicóptero “para qualquer tipo de evento em que haja a possibilidade de pessoas próximas à área não homologada ou registrada”.
A Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes e Incidentes do Controle do Espaço Aéreo, que tem atuação regional, pertencente à estrutura dos Cindacta (Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) tem por atribuição o trato de assuntos relacionados à investigação, análise e prevenção de acidentes e incidentes aeronáuticos e de incidentes de tráfego aéreo. (inf Angelo Rigon)