Prefeito de Maringá decreta retomada de serviço de saneamento no município

Na conversa de hoje com integrantes da imprensa, o prefeito Ulisses Maia distribuiu cópia do decreto 818/2018, assinado por ele ontem, determinando que a Agência Maringaense de Regulação realize todos os procedimentos necessários para o encontro de contas com a Companhia de Saneamento do Paraná e proceda a retomada do serviço de saneamento básico do município.
Foi estabelecido um prazo de 90 dias para que o acerto de contas com a Sanepar seja realizado. O prefeito acredita que tudo deve se resolver antes da eleição de outubro e voltou a garantir que o sistema não será privatizado.
A AMR é comandada pelo advogado Wanderlei Rodrigues Silva. O decreto traz cinco considerandos, incluindo a extinção da concessão em 2010, reconhecida judicialmente, as tratativas para composição extrajudicial iniciadas ano passado e, principalmente, “considerando o interesse do município de Maringá em retomar o serviço público de saneamento básico”.
Como as negociações com a Sanepar, para um novo contrato, estão praticamente estagnadas, as chances do retorno da Codemar são cada vez maiores.
Apesar de o presidente da Sanepar ser de Maringá e a governadora também, e mesmo considerando que foi a administração do PP que em 2010 iniciou o processo de retomada dos serviços, parece que a companhia não tem interesse em fazer uma proposta.
O negócio, de centenas de milhões, deveria ser tomado como prioridade, pois pode resultar até em tarifa menor para o consumidor maringaense. Se em Atalaia, com menos de 2 mil ligações, a Sanepar não quer obedecer ordem judicial para devolver o serviço ao município, imagine o que acontecerá em relação à entrega dos serviços em Maringá. (inf Angelo Rigon)