Portal de notícias evita gastos com coquetel pela Câmara de Vereadores

A Câmara Municipal de Campo Mourão decidiu cancelar o evento de solenidade em comemoração ao aniversário de 70 anos da instituição, que estava marcado para 8 de dezembro. Cancelou a festa e até a sessão solene.
Em entrevista ao i44 News, o presidente da câmara Edson Battilani (PPS), explicou que a decisão partiu da mesa diretiva em função das reclamações da população em relação aos valores divulgados no edital para contratação de empresa responsável pelo coquetel, que teria preço médio de R$ 37 por pessoa, um total de R$ 12,5 mil.
Segundo Battilani, a princípio a mesa da câmara, presidida por ele e composta pelos vereadores Edilson Martins (PR), Tucano (PPS), Jadir Soares (PPS), e Cabo Cruz (PSL), teria planejado apenas uma solenidade para comemorar o aniversário de 70 anos, contando com a presença de ex-vereadores e autoridades, totalizando 340 convidados, “é natural que as instituições ao completarem anos redondos façam eventos comemorativos”, diz.

A partir disso, conta, surgiu a ideia de oferecer um coquetel aos convidados e, após a elaboração de um cardápio definido por ele como “simples, nada de luxo” – que incluía queijos parmesão, gouda, gorgonzola e salames Italiano – chegou-se ao valores estipulados pelo edital, que, segundo ele, seriam o teto máximo.
Battilani afirma que com a disputa em pregão o custo do coquetel seria menor do que o previsto, girando entre R$8 e R$10 mil, pagos com recursos da câmara. Na sua concepção, o fato de se tratar de um evento financiado com dinheiro público não justificaria a abertura dele para toda a população, “se você fizer uma sessão solene na câmara de vereadores, além de uma ou outra autoridade, o vereador é a figura que realmente representa o poder legislativo”, defende.

Para ele, por contar com mais de 100 convidados de fora da cidade, o evento teria movimentado os setores de hotel e restaurantes. Além disso, como possivelmente a empresa contratada seria da cidade, poderia girar renda dentro do município, “Certamente seria um fornecedor de Campo Mourão, iria comprar esses produtos em Campo Mourão, contratar garçons de Campo Mourão, essas pessoas perderam uma oportunidade de trabalho”, lamenta.
Incomodado com a repercussão desfavorável ao coquetel, Battilani afirmou: “É inaceitável que se cometa a irresponsabilidade de fazer um chamamento pela internet a população. É justo alguém fazer o chamamento da população para invadir o espaço?”, questionou.
Por se tratar de uma sessão solene da Câmara Municipal, com o coquetel na sequência, o i44 News havia publicado reportagem na quarta-feira (22) informando que o evento era aberto a toda população. Em nenhum momento no texto, há qualquer referência a “invasão“. (inf i44News)