Piorou a situação…

De Guilherme Amado, na coluna de Lauro Jardim:

Mesmo tendo três semanas para se preparar para explicar a movimentação financeira de R$ 1,2 milhão, Fabrício Queiroz complicou mais que explicou na entrevista que deu ao SBT Brasil. Deixou quatro pontas soltas e mentiu em pelo menos um momento da entrevista. Eis as quatro pontas soltas:
– Queiroz falou que negocia carros, mas não apresentou nenhum comprovante de compra e venda dos supostos automóveis;
– Disse ter sido consultado por um médico chamado Vladimir, mas não soube dizer o sobrenome do médico;
– Esqueceu também o nome do hospital em que foi internado (a propósito, quem esquece o nome do hospital em que ficou internado duas semanas atrás?);
– Afirmou ser proibido falar de dinheiro no gabinete de Flávio. Mas não explicou por que funcionários do gabinete passavam dinheiro de suas contas para a dele;

E a mentira:
– Disse que a filha personal trainer cuidava das “mídias” (redes sociais) de Flávio Bolsonaro. Não é verdade. Quem sempre cuidou das redes de Flávio era o assessor Fernando Nascimento Pessoa.
Se queria ajudar Flávio Bolsonaro com a entrevista, Queiroz perdeu a oportunidade.