O que estaria por trás?

via Blog do Rigon

Ninguém na Prefeitura de Maringá até agora entendeu a intenção do gerente geral da Sanepar para a Região Noroeste, Sergio Veroneze, ontem na câmara municipal. Horas antes de falar aos vereadores o prefeito Ulisses Maia postou em seu Facebook justamente sobre a assinatura do tal documento que ele, Veroneze, disse ter sido extraviado dentro da prefeitura.
Na sexta-feira houve uma reunião entre a Sanepar e a Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal onde Veroneze disse que estava tudo certo, que nada faltava para a ampliação da rede de esgoto do Alvorada III. Ontem ele esteve na câmara municipal junto com o gerente regional de Maringá, Valteir Galdino da Nóbrega, para defender a rejeição ao projeto que permite a instalação de eliminadores de ar nos hidrômetros da cidade, e no meio da conversa disse que um documento que precisava apenas da assinatura do prefeito “se perdeu dentro da prefeitura”. O gerente teria sido informado durante a reunião de que tinha cometido um erro ao dar a informação, que era uma inverdade. O vídeo contendo a fala de Veroneze foi espalhado por oposicionistas em redes sociais.
A propósito, a administração municipal ainda trata da renovação do contrato com a Sanepar – mas faz diretamente com Curitiba, nada é tratado com o escritório de Maringá.
Está realmente na hora de Maringá repensar em municipalizar os serviços de água e esgoto. Continuar com a Sanepar hoje é correr o risco de “dar ruim” lá na frente.