“Não é Não!”: Maringaense sócio da Playboy é denunciado por assédio sexual

O fotógrafo maringaense André Luís Sanseverino, um dos sócios da Playboy, foi acusado de assédio sexual por oito modelos que foram contratadas, no ano passado, para trabalhar como recepcionistas em um evento como personagens clássicas da revista, as ‘coelhinhas’.
Durante o evento, segundo a denúncia, os empresários fizeram propostas sexuais, constrangendo e assediando as garotas.
Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva, seu sócio na PBB Entertainment, dona dos direitos de publicação no Brasil, também foi denunciado.
Uma reportagem sobre a acusação foi veiculada na noite de domingo no programa Fantástico, da Rede Globo (leia mais).

A Playboy Brasil divulgou nota, sobre a reportagem veiculada pelo programa Fantástico, em que declara que repudia toda forma de desrespeito contra a mulher.

Diz a nota:
Informamos que decidimos pelo total afastamento do sócio André Sanseverino, por prazo indeterminado, de quaisquer atividades relacionadas à Playboy.
Assim, qualquer declaração dada por André Sanseverino não reflete em absolutamente nada os valores da PLAYBOY. O mesmo encontra-se afastado da empresa e não responde mais pela mesma.
Acreditamos de forma franca e honesta que ele deverá colaborar para elucidar os fatos até que as denúncias sejam apuradas.
A Playboy, ao longo de sua história, vem coadjuvando em defesa e em busca da liberdade e empoderamento das mulheres, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. E não será diferente neste momento.
Atenciosamente,
PBB Editora S.A”.