Morre mais um em rebelião na cadeia de Cascavel

A rebelião que ocorre desde as 15h30 de quinta-feira (9) na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), no oeste do Paraná, deixou dois presos mortos, segundo o diretor do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), Luiz Cartaxo, um deles decaptado. Dois agentes penitenciários são mantidos reféns desde o início do tumulto e, conforme o Depen, estão bem.
Durante a rebelião, outros seis presos ficaram feridos. Segundo a Polícia Militar (PM), eles foram socorridos e encaminhados para unidades de pronto atendimento.
Um terceiro agente que também tinha sido rendido foi liberado no final da tarde de quinta. O homem sofreu ferimentos na cabeça e foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Veneza.
Equipes do Setor de Operações Especiais (SOE) e da Polícia Militar (PM) estão no local para tentar negociar o fim da rebelião. No início da manhã, a PM chegou a dizer que a negociação estava prestes a ser concluída, mas pouco tempo depois afirmou que os detentos não cumpriram o acordo e que, por isso, as negociações tiveram que recomeçar.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários informou que a rebelião começou no solário da penitenciária. Os presos que estavam no local escalaram a parede e acessaram o telhado. Desde então, eles não saíram mais do local.
Uma reunião nesta sexta-feira entre membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Cascavel levantou que os rebelados reclamam da queda na qualidade dos alimentos servidos e do tratamento dado às visitas. Os detentos, aponta o representante dos advgoados, Marcelo Navarro, exigem ainda a transferência de três agentes penitenciários.

Transferências

Segundo a Sesp, a PEC foi projetada para receber 1.160 presos. Até o início da rebelião, abrigava 980 detentos. Durante a madrugada desta sexta, 150 foram transferidos para a Penitenciária Industrial de Cascavel (PIC) e outros 50 foram levados para Cadeia Pública da cidade, anexa à delegacia central, permanecendo cerca de 780. (inf G1)

Maringá
Por volta das 14h desta sexta-feira (10) um princípio de rebelião ocorreu no mini-presídio da 9ª Subdivisão Policial. No interior da cadeia existem 72 detentos. O grupo SOE e equipes da Rotam da Policia Militar foram acionadas e se deslocaram para a cadeia pública. Não houve informação de reféns ou feridos até o momento.