Cerca de 200 moradores de Sarandi bloquearam, nesta sexta-feira (8), os dois sentidos da Avenida Colombo e as marginais.


Eles são contra o fechamento definitivo dos cruzamentos da Avenida Rio de Janeiro e da Rua Inglaterra com a Colombo, que, segundo a prefeitura, é defendido pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER).
É a segunda vez que os moradores bloqueiam o trânsito, provocando congestionamento. O primeiro protesto foi realizado na sexta-feira passada (1º) e deixou motoristas irritados.
No começo da manifestação foi colocado fogo em pneus e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) impediram a entrada de veículos em Sarandi por alguns minutos e uma fila enorme se formou.
Um dos organizadores do movimento, o empresário Admir Machado, conhecido como Zinho, defende que o fechamento definitivo vai dividir a cidade. “Os moradores de Sarandi necessitam desses cruzamentos.”
O prefeito de Sarandi, Walter Volpato, está lutando pela municipalização da Avenida Colombo, trecho urbano da BR-376, para que o município possa administrar as faixas que dão acesso aos cruzamentos da Avenida Rio de Janeiro e da Rua Inglaterra, impedindo o fechamento.

Estudo
Desde o dia 26, os cruzamentos foram fechados temporariamente. A prefeitura havia informado que uma empresa contratada pelo DER realizaria um estudo para analisar se era viável o fechamento definitivo das vias em razão do alto número de acidentes no local.
Em nota, o DER informou que o estudo não é sobre a trafegabilidade para o fechamento do local e sim uma medida técnica prevista em projeto de obras, somando-se ao fato do grande número de acidentes com vítimas.
Segundo a concessionária, o levantamento terminou no último dia 6 e os dados estão sendo avaliados para que uma conclusão do estudo seja feita num prazo máximo de até 20 dias.
O DER ainda informou que na tarde de ontem se reuniu com representantes da Viapar e da prefeitura e ficou acordado que a prefeitura irá viabilizar, junto à PRF, um plano alternativo para melhorar a fiscalização no local. Já a Viapar providenciará a instalação de três passarelas, sendo duas localizadas na avenida Londrina e uma na Avenida Deputado Borsari Neto. (inf O Diario/foto João Paulo)