Metro é o segundo jornal impresso a fechar em menos de um mês em Maringá; última edição circulou sexta

Circulou na sexta-feira a última edição do Metro Maringá. É o segundo jornal a fechar na cidade, em menos de um mês (no dia 15, foi decretada a falência de O Diário do Norte do Paraná, fundado em 1974).
A redação local, uma franquia do maior jornal do mundo, foi informada ontem. O Metro Maringá foi lançado em 2016 e pertencia à JMalucelli Comunicação, do grupo Malucelli (Band), que continua com o Metro Curitiba. Em maio, o Metro já havia fechado no Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e de Campinas (SP). O Metro agora tem seis brasileiras: em São Paulo (SP), Curitiba, Vitória (ES), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e ABC (SP).
O jornal só não fechou no ano passado por conta de uma multa contratual. Houve tentativa de reduzir os custos de operação, sem êxito. Alguns pontos de distribuição, que era terceirizada, foram cortados há alguns meses.
O Metro Maringá foi lançado durante coquetel em 27 de setembro de 2016, nas dependências da TV Maringá (Band). A última edição, com 24 páginas, foi a de sexta-feira, com reportagens assinadas A direção-geral do jornal em Maringá era de Vicente Malucelli, tendo Rosângela Gris como editora-executiva e Tiago Galvão como editor de Arte.
De jornal impresso periódico, Maringá agora só conta o Jornal do Povo, de Verdelírio Barbosa, que não circula às segundas-feiras.