História dos 30 anos do Sismmar é contada em livro

A gestão Novos Rumos do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) realizou, na noite de quinta (29), jantar de aniversário com o lançamento do livro que conta a história dos 30 anos de lutas do sindicato. O evento fez parte das ações comemorativas dessa data especial, o que incluiu, na noite anterior, homenagem aos ex-presidentes e gestões que contribuíram com o histórico de lutas da entidade.
O jantar ocorreu na Associação dos Funcionários Municipais de Maringá (AFMM), com a presença do prefeito Ulisses Maia (PDT); dos vereadores Mário Verri (PT) e Carlos Mariucci (PT); de membros de várias gestões do sindicato; e de mais de 350 servidores(as) municipais.

Além de Iraídes Baptistoni, atual presidente do sindicato, compareceram ao evento os ex-presidentes Ana Pagamunici, Solange Izabel Marega, Claudemir Romancini, Jorge Gonçalves de Oliveira e João Carlos Carrosi. Não puderam comparecer os ex-presidentes Dorival Fidélis, Lindinauva Buscariolli de Souza e Patrícia Lofrano.
O evento foi marcado pelo lançamento do livro “Sismmar, 30 Anos de Lutas” (Sinergia Casa Editorial, 98 páginas). Com coordenação geral de Iraídes; redação, pesquisa e revisão do jornalista Luiz Fernando Cardoso; projeto gráfico de Carlos Venâncio; e apoio de inúmeros colaboradores, entre eles o fotógrafo Valter Baptistoni; o livro relata a trajetória de lutas e conquistas dos servidores municipais, que desde 28 de novembro de 1988 são representados pelo Sismmar.

Nos discursos, Iraídes agradeceu os ex-dirigentes sindicais, representados pelos ex-presidentes; os vereadores, o prefeito Ulisses Maia e demais autoridades pela presença. Destacou também a importância dos servidores filiados. “O sindicato se sente honrado em poder fazer esse jantar para vocês, servidores e servidoras filiados, que ajudaram a construir um sindicato forte“, disse a presidenta eleita para o mandato de 2011 a 2015 e reeleita para a gestão de 2015 a 2019.
Primeiro presidente e um dos fundadores do Sismmar, Romancini lembrou da trajetória do sindicato nos primeiros anos de luta, quando a entidade ainda não contava com a ampla estrutura que possui hoje para defender os servidores municipais. “Não tínhamos estrutura, mas o sindicato nasceu absolutamente comprometido com a construção de uma sociedade que rompesse com essa desigualdade social imposta pelas classes dominantes“, disse Romancini, que presidiu a entidade em quatro gestões, as três primeiras de 1988 a 1996, e a última de 1999 a 2001.

O Sismmar nasceu combativo, de lutas, das massas, e nunca se desvirtuou disso, por isso tem essa credibilidade. Não teríamos chegado aqui não fosse a nossa base. Espero estar comemorando os 50 anos [o que ocorrerá em 2038] com o mesmo orgulho que tenho hoje do sindicato“, disse o terceiro presidente da história do sindicato, na gestão de 2001 a 2002.
Mais jovem presidenta da história do Sismmar, eleita aos 25 anos, Ana Pagamunici, que hoje reside em São Paulo, destacou que o mais importante “é a luta, é aquilo que você construiu, é a semente que você plantou“. Para ela, essa semente plantada será muito importante para as resistências contra a perda de direitos da classe trabalhadora. “A única possibilidade de transformar a nossa realidade, de lutar e construir alguma coisa nova, é a gente se organizar como classe trabalhadora para lutar por nossos direitos“, disse Ana, que presidiu o sindicato de 2005 a 2008.

Após os discursos da ex-presidenta Solange Marega; do presidente da AFMM, Marcelo Mazarão; e do vereador Mariucci; o vice-presidente da Câmara Municipal, Mário Verri, destacou que nada acontece em prol do trabalhador sem o suporte do sindicato. Verri também elogiou a galeria de presidentes, com fotos de ações das gestões do Sismmar nesses 30 anos. “Outros sindicatos não podem fazer isso porque eles não têm alternância de poder, eles têm dono“, disse.
O prefeito Ulisses Maia, que deixou de estar no evento de um renomado político da cidade para prestigiar os servidores, parabenizou a atual diretoria e as gestões anteriores pelo momento histórico dos 30 anos, citando conquistas recentes que constam do livro, como o pagamento da trimestralidade, as eleições diretas nas unidades de ensino, a Lei contra o Assédio Moral, o vale-alimentação, entre outras.

Não chegamos nem na metade do nosso mandato, e tem muito mais por vir, como as 30 horas da Saúde e o regime contratual único“, disse Ulisses, que prometeu cumprir na íntegra as 17 reivindicações da Plataforma dos Servidores, um compromisso assinado por ele nas eleições de 2016.

Após as formalidades, lideranças sindicais, autoridades e servidores receberam o livro dos 30 anos do Sismmar, tirando fotos com os livros junto ao bolo de aniversário. “Registrar todas nossas lutas era um sonho que eu tinha. A ideia inicial era fazer uma revista, mas aí surgiu a ideia do livro, porque tínhamos muita coisa para contar“, disse Iraídes. “Conseguimos resumir nesse livro várias histórias das gestões que se passaram“, acrescentou.
Iraídes também agradeceu o empenho dos funcionários, destacou conquistas da Gestão Novos Rumos e melhorias no atendimento as servidores, como o fato de que o sindicato, desde 2016, não fecha mais no horário de almoço. O evento prosseguiu com o jantar e apresentação dos alunos do curso de dança de salão do sindicato, em projeto desenvolvido pelo servidor e dirigente sindical Roselson Alves Cabral. Durante o jantar, todos os presentes receberam um exemplar do livro. A comemoração terminou com show da banda Samarini.