Grandes partidas definem semifinais do Paranaense de Handebol Infantil

Duelos acirrados e equilibrados apontaram os semifinalistas do Campeonato Paranaense de Handebol Infantil, em Maringá. Das 41 equipes, apenas oito seguem vivas em busca do título estadual

Grande favorita a manter o troféu de ouro em casa, a seleção feminina de Santo Antônio do Sudoeste superou com tranquilidade as adversárias da Prefeitura de Floraí/Handebol, por 16 a 04, resultado que garantiu o elenco na semifinal diante de Handebol de Jussara, que protagonizou uma grande partida ao lado das estreantes de Ribeirão do Pinhal, vencendo por 11 a 09. “Sempre acreditei no trabalho das meninas, a equipe vem de uma sequência de jogos, então não rendeu o esperado, muito em razão do calor e do cansaço físico, agora teremos mais tempo de recuperação pra chegarmos descansadas pra semifinal. Nesta fase da competição tudo é decisivo, um erro pode nos tirar da final, vamos procurar corrigir alguns erros de arremessos e de definição de bola que podem ser determinantes durante o jogo. Estamos com a expectativa de fazer uma grande partida,”, declarou a técnica Leonilda da Silva (Nidi).

Destaque da partida, a santo-antoniense Tauani Crespan foi também a artilheira, com sete gols assinalados. “É um peso bastante grande vestir essa camisa. Fico muito feliz de ter ajudado o time a conquistar a vaga a semifinal, mas sei que sem o time não teria conseguido isso, o conjunto é muito importante, tenho certeza que o trabalho em equipe faz com que nós consigamos ganhar os títulos, o favoritismo não ganha jogo, não ganha campeonato, a gente vem aqui pra lutar, jogo é jogo, vamos buscar a vitória”, enfatizou a jogadora que atua como central.
A disputa pela final está marcada para este sábado (17), às 13h30, no ginásio de esportes Valdir Pinheiro. A outra partida acontece na sequência, às 14h30, entre as meninas da Promec/Sejuv/Sarandi, que ganharam de 07 a 03 sobre a Prefeitura de Arapongas/Semesp, em um dos confrontos mais equilibrados do torneio, e Handebol/Prefeitura de Mariluz, que atropelou Ourizona Handebol, goleando as rivais em 22 a 05.

 

O time mariluzense repete o feito da última edição, quando também chegou entre as quatro melhores seleções do Estado. Sem perder uma partida, o elenco passou a semifinal superando cada adversária com fair play e disciplina, sendo uma das grandes equipes reveladas na competição. “O trabalho do handebol de Mariluz é realizado há muito tempo, nos últimos anos temos conseguindo chegar entre as cabeças. Chegamos a semifinal mais uma vez, sem perder um jogo, isso é muito gratificante. A nossa proposta desde o início foi defender, vamos tentar surpreender nossa adversária no sistema defensivo, depois o ataque é uma consequência da nossa boa defesa, esperamos que possamos chegar à final”, frisou o professor Levi Alves de Andrade, que conta na equipe técnica com a auxiliar Juliana Lima.

Ribeirão do Pinhal

Disputa masculina
Do 7º lugar na última edição para o G4, um salto gigante para o selecionado do Colégio Marista Pio XII/LHPG/Ponta Grossa que, ao lado da I.H.B/Escola Biodiversidade/Londrina, apresentou um jogo digno de decisão de título, equilibrado do início ao fim, definido em detalhe pelo placar de 13 a 11. “Treinamos muito pra chegar até aqui, tivemos muitas lesões na primeira fase, precisamos improvisar algumas situações, foi uma superação, a nossa defesa prevaleceu, conseguimos chegar à semifinal, estamos entre os quatro do Paraná, isso é muito de muita felicidade, agora é tentar jogar bem pra chegar à final”, frisou o técnico Sandro Alves de Lara.

O elenco ponta-grossense repete o feito de sete das oito equipes que passaram à semi, ainda não conhecem a derrota. “A parte técnica prevaleceu pra chegarmos até aqui, essa equipe joga desde o sub-10, sub-12 no Festival Paranaense, essa experiência de quadra dá tranquilidade aos atletas. A Liga faz um trabalho muito bom com as categorias menores, isso tem contribuído pra chegar neste nível do sub-14, do cadete, dos escolares, temos aproveitado muito essa bagagem”, enfatizou Lara, acrescentando: “Sabemos das dificuldades que nós temos, mais os meninos estão bem motivados, concentrados, se ganharmos o jogo vai ser numa defesa muito forte e no contra-ataque”, destacou.
Eleito destaque do jogo, o central Leonardo Moreira, de 13 anos, comemorou a indicação e a classificação à semi. “É muito bom saber que conseguimos passar à semifinal, foi um jogo pegado, a equipe jogou muito, estou bastante feliz pela indicação”, declarou Moreira.
A decisão de quem avança à final será às 10h30 contra o forte elenco do Projeto M22 Maringá/Marialva, que superou por 18 a 11 a grande equipe ACH/Cascavel/AC5.

Em sua primeira participação no Campeonato Paranaense, o time masculino de Ribeirão do Pinhal conquistou um feito inédito para a cidade com pouco mais de 13 mil habitantes: está entre as melhores seleções estaduais da categoria sub-14. Chegou a este posto ao vencer, nas quartas de final, os maringaenses da Prefeitura de Maringá/Cesumar/Cerhand-UEM, por 22 a 15. “Chegamos de mansinho, fomos conquistando jogo a jogo, surpreendemos nossos adversários e até nós mesmos, estamos jogando muito bem, acredito que podemos ir ainda mais longe. Tenho um grande conjunto, os 14 atletas são muito bons, posso substituir quem for que dá conta do recado, esse é o nosso forte, trabalho em conjunto, sempre acreditei nesse grupo, estão jogando comigo desde o sub-11e sempre dizia a eles que quando chegassem no sub-14 iriam longe, não estava enganado”, ressaltou orgulhoso o treinador Leonardo Velani.
Melhor jogador em quadra, o camisa 10 Gustavo Gonçalves se agigantou na partida. “Dei o meu melhor, não consigo descrever o quanto estou feliz por esse momento”, disse ao final do jogo o garoto prodígio, que atropelou seus adversários com suas fintas e saídas em velocidade.

A partida que vale vaga à final começa às 11h30 e será diante da Prefeitura de Francisco Alves, que superou os rivais do Colégio Integrado/Campo Mourão por 26 a 16.
O Campeonato Paranaense de Handebol Infantil conta com o apoio da Prefeitura de Maringá, por intermédio da Secretaria de Esportes e Lazer, da Federação Internacional de Handebol (IHF), da Confederação Brasileira de Handebol, da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo (SEET), da Associação Paranaense de Árbitros de Handebol (APAH) e do CREF9/PR. (inf Jaqueline Galvão)