Gol suspende operações com Boeing 737 MAX 8

Após o acidente da Ethiopian Airlines, a Gol suspendeu temporariamente suas operações comerciais com o modelo 737 MAX 8, da Boeing. Segundo comunicado divulgado pela companhia na noite desta segunda-feira, 11, não serão usados os sete modelos que fazem parte da frota da empresa. As informações são do Estadão.
No domingo, um Boeing 737 Max 8 caiu entre a Etiópia e o Quênia, deixando 157 mortos. O modelo do avião era o mesmo da aeronave que caiu em outubro no Mar de Java, na Indonésia, deixando 189 mortos.


Por meio de nota, a Gol diz que “reitera a confiança na segurança de suas operações e na Boeing, parceira exclusiva desde o início da companhia em 2001.” A Gol afirma que espera que seja possível retornar a colocar essas aeronaves em atividade. Os clientes com viagens previstas nas aeronaves 737 Max 8 serão, segundo a Gol, reacomodados.

Suspensões
Indonésia, China e Etiópia ordenaram que as companhias aéreas de seus países suspendessem o uso do Boeing 737 MAX 8 nesta segunda-feira, após o acidente da Ethiopian Airlines.
O porta-voz da Ethiopian Airlines, Asrat Begashaw, afirmou que, embora as causas do desastre ainda não sejam conhecidas, a empresa deixará de utilizar os outros quatro 737 Max 8 de sua frota “como precaução extra de segurança”. A empresa tinha cinco aviões do modelo e aguardava mais 25 entregas.
No Brasil, a Fundação Procon-SP recomendou que a Gol suspendesse de imediato a operação das aeronaves da Boeing modelo 737 MAX 8. “O objetivo da ação é prevenir que ocorram futuros acidentes colocando em risco a vida dos usuários do transporte aéreo”, afirma o Procon-SP em comunicado.
Um total de 68 companhias aéreas ao redor do mundo utilizam o 737 MAX. De acordo com o site da fabricante, pelo menos quatro empresas na América Latina utilizam ou estão prestes a iniciar voos com a aeronave: Aeromexico, Copa Airlines, do Panamá, Aerolíneas Argentinas e a brasileira Gol .