Ex-assessor da Casa Civil denuncia: dinheiro do pedágio foi usado em campanhas políticas

O advogado Carlos Felisberto Nasser, ex-funcionário da Casa Civil do governo do Paraná, declarou ao Ministério Público Federal que o dinheiro que recebeu da Rio Tibagi, subsidiária da concessionária de pedágio Econorte, foi destinado a campanhas eleitorais.
O MPF anota que, entre 2007 e 2015, segundo dados de quebra de sigilo bancário, a empresa Power Marketing Assessoria e Planejamento Ltda, que pertence ao ex-funcionário da Casa Civil, recebeu um total de R$ 2.155.543,60 da Rio Tibagi.
O próprio Nasser já admitiu, contudo, que a Power Marketing nunca registrou nenhuma atividade. A empresa, reforça o MPF, “não tem existência física, empregados ou sede, nem possuiu em qualquer momento estrutura que justificasse a efetiva prestação de serviços” à Rio Tibagi.
A informação consta na denúncia do MPF oferecida à Justiça Federal na segunda-feira, na esteira da Operação Integração, deflagrada em fevereiro no âmbito da Lava Jato. Mas, na peça, os investigadores não revelam se Nasser disse quais políticos e quais campanhas eleitorais exatamente teriam recebido o dinheiro. (inf Catarina Scortecci/Gazeta do Povo)