Estudantes da UEM não aceitam punição branda aos professores acusados de assédio sexual

O protesto na frente da reitoria da Universidade Estadual de Maringá, por conta da decisão do reitor Mauro Baesso em relação ao caso dos dois professores acusados de assédio contra alunas do curso de História, reuniu um grupo de pessoas nesta manhã (28), na UEM, em Maringá.


O reitor acabou recebendo as manifestantes na sala do Conselho Universitário. Elas querem que ele reveja a punição aplicada, seguindo a sugestão da comissão que apurou os fatos. (inf Angelo Rigon)