Equipes da Prefeitura redobram esforços para reduzir impacto dos vendavais

Desde que os fortes vendavais atingiram a cidade de Maringá nos últimos dias, equipes de diversas secretarias municipais redobraram os esforços para reduzir os impactos das quedas de árvores, resultado de ventos de até 75 km/h. Cerca de 150 servidores da Secretaria de Serviços Públicos (Semusp) trabalham diuturnamente na remoção e poda, minimizando os riscos de novas quedas.
Os últimos dias registraram a queda de aproximadamente 500 árvores. Se os primeiros vendavais atingiram principalmente os conjuntos Requião e os jardins Liberdade, América e Novo Horizonte, a sequência da intempérie derrubou árvores dos mais diversos bairros.
Com o vendaval e a queda de árvores, 20 automóveis e 20 residências foram atingidos, além de causar estragos nas Unidades de Pronto Atendimento da Zona Sul e Norte, Unidade Básica de Saúde do Quebec e Hospital Municipal. Com o esforço e empenho das equipes de Saúde, pacientes foram deslocados e o atendimento assegurado.

A Semusp que já realizou o plantio de cerca de 7 mil mudas nos últimos dois anos, intensificará a reposição das árvores que caíram. O Plano Municipal de Arborização Urbana que está em andamento e será finalizado até o primeiro semestre de 2019, atualizará censos, selecionará espécies mais próprias para o local e com relação histórica com o projeto urbanístico original.
Apesar do estrago causado pela queda de árvores, o volume de troncos destinado à Pedreira Municipal será leiloado e poderá levantar recursos para serem utilizados em prol da comunidade.
O secretário de Serviços Públicos, Vagner de Oliveira, assegura que até o final de semana a limpeza e demais serviços serão finalizados. “A comunidade pode ficar tranquila que os serviços são realizados priorizando a segurança dos maringaenses. Graças ao trabalho e empenho de nossos servidores e de outras secretarias e demais órgãos públicos muitos acidentes foram evitados”, destaca.

Atualmente a administração conta com cerca de 12 mil pedidos de solicitação de retirada de árvores. Para evitar a remoção indiscriminada de plantas, apenas após uma criteriosa avaliação fitossanitária por engenheiro agrônomo e florestal que a ação é liberada.
Para dar celeridade ao processo, o município regulamentou a contratação de empresas pelos munícipes para a poda, corte e remoção de árvores do passeio público. Por enquanto não há nenhuma empresa autorizada a prestar o serviço. O decreto 337/2018 prevê penalidade de R$ 1 mil a R$ 10 mil para quem realiza o corte da arborização urbana sem estar credenciado.
A solicitação de vistoria e laudo técnico da Semusp deve ser feito presencialmente na Ouvidoria (térreo do Paço Municipal), pelo fone 156, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, ou pelo site www.maringa.pr.gov.br no Portal de Serviços. A poda, corte e remoção de árvores no interior de imóveis e em Áreas de Preservação Permanentes dependem de autorização da Sema e não da Semusp.