Empresas contatadas já se instalam e geram empregos em Maringá

Desde o começo de 2017, quando a atual administração iniciou contatos com empresas nacionais e até do exterior para se instalar em Maringá, vários empresários investidores e dirigentes de instituições empreendedoras decidiram expandir seus negócios ou fixar sua linha de produção no município.
“Neste primeiro ano de trabalho de prospecções junto ao setor produtivo já pudemos observar um notável crescimento no número de empreendimentos instalados, empregos oferecidos, renda consolidada e aumento no montante de valores de impostos arrecadados no período”, assegura o secretário municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico, Francisco Favoto.

Entre as principais empresas instaladas em Maringá no ano passado, ou que ainda estão em fase de transferência, o secretário destaca a vinda da Alltech do Brasil, empresa líder mundial do setor de saúde e nutrição animal que, de imediato, passou a gerar cerca de 150 empregos diretos no município.
Classificada entre as dez maiores empresas de saúde animal do mundo, a Alltech atua na fabricação de produtos para o mercado de rações para gado de leite e corte, aves, suínos, equinos, aquacultura e pets. No segmento vegetal formula leveduras para aplicação nos aditivos de seus produtos de nutrição animal e fornece seu produto para a indústria cervejeira.

Com sede em Lexington, no Estado de Kentucky (EEUU), a Alltech do Brasil possui filiais e distribuidores em mais de 100 países, além de três centros de biociências e mais de 100 instalações fabris localizadas em diversos locais estratégicos no mundo.
A maior planta de biotecnologia para nutrição animal e vegetal do mundo, opera desde 2007, em São Pedro do Ivaí (PR) – a 80 quilômetros de Maringá – e a companhia também conta com uma unidade em Indaiatuba (SP).

Em Maringá, a empresa mantém uma unidade de distribuição estabelecida na Avenida Paranavaí, no Parque Industrial Bandeirantes, desde o segundo semestre de 2017. O escritório administrativo opera na área do Novo Centro.

Call Center
Outro projeto de parceria que deu certo foi proposto pela Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico (Seide) para instalação da empresa Tel Centro de Contatos Ltda, que tem sede em Salvador (BA).
Considerada uma das pioneiras em telesserviços do Brasil e uma das maiores do país no setor, a empresa atua há quase 30 anos na área de call center. Entre seus clientes estão empresas de convergência, bancos, órgãos públicos, companhias aéreas, telecom, TV por assinatura, financeiras e instituições de ensino com suporte técnico para todo o Brasil.

No final do ano passado foi formalizado um convênio, que teve anuência da Comissão Municipal de Desenvolvimento Econômico (Prodem), estabelecendo que, em caráter excepcional, a Prefeitura de Maringá promove o pagamento de aluguel de prédios ou barracões da empresa no município. O valor do pagamento total ou parcial do aluguel será limitado ao valor recolhido pela empresa a título de Imposto Sobre Serviços (ISS) após seis meses do início da operação da unidade.

A empresa já instalou um escritório com local para treinamento de atendentes na área central da cidade e, segundo o diretor da Seide, Miguel Fuentes Sallas, na próxima semana uma equipe de consultores da Tel Centro de Contatos virá até a Prefeitura de Maringá para definir o local de instalação da empresa. “Esse subsídio concedido será diluído conforme a evolução do valor do recolhimento de ISS. Quando entrar em operação aqui, a empresa poderá gerar de 800 a 1.500 empregos, podendo chegar a até três mil funcionários com o decorrer do tempo”, garante o diretor.

Alta complexidade
Também na área da ciência e tecnologia de ponta o município avançou com o protocolo de intenções firmado com o Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar) para implantação do Parque Biotecnológico da Saúde.

No mês de agosto de 2017 o prefeito Ulisses Maia e o diretor Presidente do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar), Júlio César Félix, formalizaram o termo de cessão de um terreno de 95,5 mil metros quadrados no Parque Industrial Cidade de Maringá para implantação do empreendimento, que já teve licitada a obra da primeira planta. “No total, o Centro de Desenvolvimento e Produção de Medicamentos Biológicos terá cinco fábricas, que produzirão um diferente tipo de medicamento cada uma”, explica o prefeito Ulisses Maia, acrescentando que futuramente também será construído naquela área um centro de armazenagem de medicamentos e produtos acabados.

Conforme as projeções, já em 2018 o complexo deverá obter um faturamento de R$ 2,7 milhões na produção de medicamentos sob encomenda do Ministério da Saúde. “Serão fabricadas vacinas contra varicela, tétano e coqueluche, além de produtos voltados para o tratamento do câncer de mama, HIV, hepatite C e de reposição enzimática, em parceria com outros laboratórios nacionais e internacionais”, assegura Favoto.

Inicialmente a planta, automatizada, deverá gerar 250 empregos diretos e especializados de alto nível, além de envolver mestres e doutores no auxílio do desenvolvimento dos novos produtos farmacêuticos e biotecnológicos que serão produzidos.
As maiores demandas de capacitação de profissionais qualificados para trabalhar no projeto serão nas áreas de biólogos, biotecnologistas e engenheiros de produção.

Novas prospecções

As metas já alcançadas pela Secretaria Municipal de Inovação e Desenvolvimento Econômico são creditadas ao programa permanente de incentivo à instalação de novas indústrias e à preservação de empresas geradoras de emprego e renda no município.
Um dos principais módulos de propulsão do sistema é o Programa de Desenvolvimento Econômico de Maringá – Prodem/Empresa, que visa fomentar a expansão de empreendimentos existentes e estimular a atração de novos investidores.

Por meio de mecanismos de incentivo do programa, previstos na Lei nº 6936/05, a Prefeitura concede isenção do recolhimento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) durante 10 anos para as empresas que se instalam no município. Nos distritos de Iguatemi e Floriano a isenção se prolonga por 15 anos.
Também é concedido desconto de 50% no recolhimento do Imposto de Transferência de Bens Imóveis (ITBI), além de isenção de ISSQN sobre o projeto de construção civil das empresas interessadas.
“Para este ano as ações desenvolvidas pela secretaria estão concentradas em estudos que visam a vinda de outras empresas de respeitável porte para Maringá”, anuncia o secretário.

Entre as empresas em estágio mais evoluído de negociação ele cita o interesse de um grupo chinês em adquirir ou locar um terreno de 100 alqueires para a instalação de painéis para captação de energia solar e outra que pretende implantar um posto de distribuição de Gás Natural Veicular (GNV) no município, além de uma multinacional russa que prospecta a instalação de uma montadora de tratores fabricados na Rússia e Ucrânia na região eminentemente agrícola do sul do Brasil.

Dentro do programa de incentivo à expansão de empresas maringaenses é preparado um terreno no Parque Industrial Cidade de Maringá para a instalação de uma nova unidade produtora de gelo por uma empresa já consolidada no município. O projeto da nova fábrica já está aprovado e o empreendimento deverá acrescentar mais 20 vagas de emprego na cidade.

“Também estamos finalizando o lançamento de um Parque de Tecnologia da Informação para ampliar o espaço disponível e atrair outras empresas produtoras de software que, aliás, já compõem outro segmento produtivo que vem se destacando no município”, afirma Favoto.

Para o prefeito Ulisses Maia, o programa de incentivo municipal será reforçado agora em 2018, já que as partes II e III do Parque Industrial estão liberadas para edificações de empresas interessadas em se instalar ou expandir sua linha de produção em Maringá. “Disponibilizar empregos e gerar renda para a população são princípios fundamentais da nossa administração. O objetivo único é intensificar o estímulo à diversificação produtiva dos setores industrial e de prestação de serviço para incrementar ainda mais a base da economia do município”, conclui. (Foto: Jéssica Euflausino/PMM)