Em Sarandi, vereadores rejeitam até empréstimo para asfalto

Via Angelo Rigon:

A briga política entre alguns vereadores e a administração do prefeito de Sarandi, Walter Volpato, agora deve prejudicar cerca de 10 mil pessoas, do Jardim Novo Independência. Na sessão de hoje foi rejeitado o projeto 2829/2019, que destinava R$ 6.618.632,81 para obras de drenagem, asfalto e calçadas no bairro.
O projeto rejeitado permitiria que as obras pudessem ser licitadas e iniciadas nos próximos três meses. Com a rejeição, não há prazo para que elas sejam realizadas.
De acordo com o projeto encaminhado pelo Executivo, o asfalto seria bancado com recursos da Caixa Econômica Federal através do pelo Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). Projeto com o mesmo objetivo havia sido aprovado, mas através do Programa Pró-Transporte, criado na gestão do ex-presidente Michel Temer. A mudança do tipo de financiamento permitiria ao município realizar as obras em menos tempo, já que havia concordância da Caixa. A prefeitura, consta, estaria trocando o duvidoso pelo certo, uma vez que contratos via Finisa são mais vantajosos, considerando inclusive o tempo de contratação (8 anos mais 2 de carência contra os 20 anos do Pró-Transporte, de autorização incerta).
Votaram contra a substituição e, consequentemente, pelo adiamento das obras no Novo Independência, os vereadores André Luis Celestino Jardim (Mineirinho), Aparecido Antonio (Cido Polícia) e Eliana Trautwein Santiago; o vereador Erasmo Cardoso Pereira faltou à sessão. Votaram favoravelmente os vereadores Carlos Roberto Falaschi (Leão), Cilas Souza Morais, Dionizio Aparecido Viaro (Diocar), Eunildo Zanchim (Nildão), Gilberto Messias de Pinas e José Aparecido da Silva (Nito). Eram precisos dois terços de votos favoráveis. Já há algum tempo tem ficado clara a oposição de quatro vereadores (dois deles, servidores municipais) a iniciativas do Executivo sarandiense.