Em nota, PV do Paraná diz respeitar Comissão Processante e investigação do TCE contra Homero Figueiredo Marchese

Em nota de esclarecimento tornada pública ontem, o diretório estadual do Partido Verde no Paraná informou compreender a denúncia apresentada pelo diretório municipal pelo PV de Maringá ao denunciar o vereador Homero Figueiredo Marchese, contra o qual foi aberta Comissão Processante no último dia 5. O PV do Paraná diz respeitar o acolhimento de pedido de PC e a abertura de investigação pelo Tribunal de Contas e que o vereador terá amplo direito de defesa para esclarecer as denúncias, “desejando um encerramento que observe a correta aplicação das leis e justiça para todos”.
A nota foi publicada neste domingo no site do Partido Verde e é uma espécie de mea culpa diante de uma nota divulgada no último dia 5, onde o partido receber “com tristeza” e lamento a decisão do Partido Verde de Maringá.
O presidente estadual do PV, Francisco Caetano Martin, participou de encontro regional do PV em Cianorte, onde recebeu dirigentes do partido local. O comunicado foi divulgado à véspera da reunião dos integrantes da Comissão Processante decidirem sobre o prosseguimento do processo contra Marchese, o que será anunciado às 15h30 no plenário da Câmara de Maringá. O vereador é acusado de perseguir um membro do partido nomeado na Prefeitura de Maringá, de acessar banco de dados utilizando-se de meios ilegais e de ter indicado para seu gabinete um assessor condenado por improbidade administrativa, contrariando lei municipal.
A íntegra da nota do PV paranaense:
Acerca dos acontecimentos na cidade de Maringá envolvendo o vereador do Partido Verde, Homero Marchese, o Partido Verde do Paraná informa que em vista dos esclarecimentos prestados pelo Diretório Municipal do Partido Verde de Maringá, compreende que o Diretório adotou as medidas que entendeu cabíveis dentro de sua autonomia e competência.
O Partido Verde do Paraná entende também que, tendo sido acolhida a abertura de Comissão Processante na Câmara Municipal em relação ao Vereador e a manifestação de abertura de investigação pelo Tribunal de Contas do Paraná, deve respeitar tais decisões, acreditando que desta forma o Vereador terá amplo direito de defesa, desejando um encerramento que observe a correta aplicação das leis e justiça para todos”. (inf Blog do Rigon)

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAniversariantes 22 Outubro
Próximo artigoJOJUPs 2017