Dono da Arildo Veículos é condenado a 4 anos e 8 meses de reclusão

O juiz Cláudio Camargo dos Santos, da 1ª Vara Criminal, condenou o empresário Arildo Aparecido de Souza, proprietário da Arildo Veículos, a 4 anos e 8 meses de reclusão. A decisão foi tomada cerca de cinco anos após denúncia do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).


O empresário do ramo de automóveis foi condenado por vender carros com o hodômetro adulterado e pela venda de veículos sinistrados. Ester Alves Bueno de Souza e Éder Campinha, também denunciados pelo Ministério Público, foram absolvidos pelo magistrado.
O Gaeco também pediu a condenação do empresário por propaganda enganosa, em razão do uso do jargão publicitário “Arildo Veículo, qualidade acima de tudo”, mas a denúncia não foi aceita.
Em relação a adulteração na quilometragem, um dos exemplos contidos no processo, é o de um veículo Gol, que no dia 14 de maio de 2012 estava com 81.247 km e, ao ser vendido em 31 de agosto de 2012, tinha 29.155 km.
No caso da venda de veículos sinistrados, um dos casos se refere a uma Fiat Strada. Ela foi vendida a uma pessoa, que após tomar ciência que o veículo tinha capotado antes da compra, conseguiu revender para a empresa Arildo Veículos.
O detalhe é que durante as investigações, o Gaeco descobriu que a mesma Fiat Strada foi vendida novamente a uma mulher, que precisou mover uma ação judicial contra a empresa para conseguir o ressarcimento por danos morais e materiais. (leia mais Maringá Post)