Discussão sobre área de ação de conselheiro tutelar acaba na Delegacia

A discussão em torno do território de atendimento de conselheiros tutelares de Maringá acabou em boletim de ocorrência, ontem (30) à tarde, na delegacia de Polícia Civil da cidade.
De acordo com o registro, a conselheira tutelar Priscila Izaura, do Conselho Tutelar da Zona Sul, houve uma chamada para atendimento na Santa Casa de Maringá, que deveria ter sido realizado pelo conselheiro Jesiel Carrara, do CT Zona Norte, que se recusou a fazê-lo. Segundo a conselheira, a pessoa que necessitava de atendimento é moradora da Zona Norte, e, portanto, ele deveria ter sido feito por Carrara. Ainda de acordo com o boletim, ele se recusou a atender “pelo simples fato de o hospital pertencer à região Zona Sul”. Todavia, esse não seria o entendimento correto, “pois o que valeria na verdade é o domicílio da pessoa a ser atendida”. A conselheira e outros colegas de Conselho Tutelar teriam informado que ele deveria atender a chamada, mas “ele se recusou”. Há o entendimento de que teria ocorrido prevaricação.
Jesiel Carrara disse  que a cidade é dividida pela avenida Colombo e que conselheiros do CT Zona Sul mudaram a regra por conta própria no meio do mandato. Ele cobrou que lhe enviassem a cópia da nova regra acordada junto ao (CMDCA) Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. “Em nenhum momento me neguei atender o hospital, apenas orientei que acionasse o Zona Sul e que, se eles recusassem, voltasse a fazer contato comigo”, disse ele, alegando que em seu entendimento a avenida Colombo separa as ações dos conselhos tutelares e “atendemos território onde tem violação”, acrescentou. (inf Angelo Rigon)