Denunciado por corrupção passiva qualificada no PR, possível substituto de Ayres é indicação do ministro da Saúde

De Cleber Toledo, no Portal CT, de Palmas )TO):

Indicação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, de quem é homem de confiança, ao prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), o engenheiro civil Roberto Petrucci Júnior, escolhido para substituir o deputado estadual Ricardo Ayres (PSB) na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Regularização Fundiária e Serviços Regionais, deixou Maringá (PR), no ano passado, após ter sido denunciado pelo crime de corrupção passiva qualificada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE) do Paraná.

Petrucci foi nomeado em abril de 2016 secretário municipal de Obras Públicas de Maringá, na gestão de Carlos Roberto Pupin (PP), também homem do grupo do ministro Ricardo Barros.

Conforme o Gaeco, o ex-secretário, que em novembro de 2016 já acumulava as pastas de Obras Públicas e de Planejamento e Urbanismo [similar à pasta em que é cotado para assumir em Palmas], teria exigido de um empresário 50% do valor que a prefeitura pagaria para desapropriar uma área onde o município faria o prolongamento de uma rua. O MPE diz que o empresário teria se recusado a fazer o pagamento e acabou recebendo regularmente o valor de cerca de R$ 640 mil. Petrucci foi denunciado em abril do ano passado. Na época, ele disse à imprensa de Maringá que estava tranquilo e que sempre defendeu o erário.

Além da gestão Pupin, em Maringá, o possível substituto de Ricardo compôs também a administração do irmão do ministro Ricardo Barros, Sílvio Barros (PP), que governou a cidade por dois mandatos (2005 a 2013).

“Sugestãozinha” de Amastha
Conforme circula nos bastidores da prefeitura, Petrucci chegou a Palmas após um pedido do ministro da Saúde, Ricardo Barros, ao prefeito Carlos Amastha, que nomeou o indicado em 7 de novembro como secretário executivo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego, cargo que exerce atualmente.

Como o secretário de Desenvolvimento Urbano, Ricardo Ayres, está deixando a pasta para retomar seu mandato na Assembleia, Petrucci é o cotado para assumir a vaga, que chegou a ser oferecida por Ricardo ao ex-prefeito de Axixá Auri-Wulange Ribeiro Jorge. No entanto, conforme o blog apurou e já tinha divulgado na quinta-feira, 26, Petrucci acabou sendo o escolhido pelo próprio Ricardo com uma “sugestãozinha” de Amastha.

O prefeito de Palmas é muito ligado à família Barros. Ele deixou o PV em 2011 e migrou para o PP para disputar o comando da capital tocantinense em 2012 através dos irmãos Sílvio e Ricardo. A relação entre eles é tão estreita que, à frente do Paço de Maringá, Sílvio veio a Palmas em agosto de 2010 para a inauguração do Capim Dourado Shopping, construído por Amastha e vendido depois que ele chegou à prefeitura.

O ministro Ricardo Barros foi uma das figuras ilustres que prestigiaram a posse de Amastha na presidência provisória da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), no dia 10 de janeiro deste ano.