Decisão da justiça faz prefeitura retomar processo de compra de vagas na rede privada de educação

A Prefeitura de Maringá anunciou agora à noite que vai dar sequência ao processo de contratação de vagas junto a rede privada de ensino para reduzir a fila de espera nos centros de educação infantil na faixa de 6 meses a 3 anos.
A nota diz que, dessa forma, o município atende decisão da justiça, que exige que a lista de espera por vagas seja extinta na faixa de 0 a 3 anos. Em julho do ano passado, ao fazer balanço do primeiro semestre de sua gestão, o prefeito Ulisses Maia anunciou estudos nesse sentido. Ao assumir o governo, em janeiro de 2017, a atual gestão encontrou fila de espera com mais de 5000 crianças, reduziu para menos de 3,4 mil na faixa até 3 anos e zerou a espera por creche de 4 a 5 anos.
O Ministério Público divulgou hoje que juízo da Vara da Infância e Juventude acatou os argumentos da 17ª Promotoria de Justiça em ação civil pública e em liminar deu ao município o prazo de um ano para zerar a lista de espera por vagas na educação infantil para crianças de 0 a 3 anos. A decisão é da sexta-feira.
Quando anunciou a compra de vagas na rede privada, no ano passado, o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá posicionou-se contra a proposta.