A maringaense Rose Leonel, 46, é tema da seção “Minha História”, na Folha de S. Paulo neste domingo, em depoimento a Leando Nomura.
Após ter imagens íntimas vazadas pelo ex-namorado, em 2006, ela perdeu o emprego, teve que mandar o filho de 12 anos morar com o pai no exterior e quase foi “linchada” em sua cidade. “Ele me queimou”, diz ela. “É a clássica pornografia de revanche.”
Em 2013, Leonel fundou a ONG Marias da Internet, que se dedica à orientação jurídica e apoio psicológico a mulheres em situações semelhantes. Seu nome batiza o Projeto de Lei 5.555/2013, em tramitação no Congresso Nacional, que altera a Lei Maria da Penha e criminaliza a divulgação de fotos e vídeos com cena de nudez ou ato sexual sem autorização.
Para ela, a divulgação desse material é um crime semelhante ao do estupro: “Quando a mulher é violentada, geralmente, ela é culpabilizada pela sociedade. E no crime de divulgação de imagem íntima não consensual ela também é”. Leia mais. (foto Sergio Ranalli/Folhapress)

Salvar

Salvar

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMarcha para Jesus
Próximo artigoAniversariantes 22 Maio