CPI do Terminal Intermodal ouve novas testemunhas

284

O administrador da empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC), Armando Roberto Jacomeli, afirmou à CPI do Terminal Intermodal que a concessionária não participou da elaboração dos editais e projetos da obra. O depoimento foi dado nesta tarde (4), em nova reunião da equipe formada por Sidnei Telles (presidente), Jean Marques (relator), Alex Chaves (membro), Do Carmo (membro) e Belino Bravin (membro).
Somos apenas a empresa operadora do serviço e fomos chamados a opinar somente sobre a parte operacional do terminal. Nesta ocasião, sugerimos a necessidade de espaço físico para os funcionários (sala de descanso e banheiros), local para venda e recarga dos cartões, entrada e saída de veículos. Como eram reivindicações também do sindicato dos trabalhadores e do Ministério das Cidades elas foram atendidas”, explicou Jacomelli. Em relação aos terminais de bairros e corredores de ônibus das avenidas Kakogawa e Morangueira, o executivo reforçou que a TCCC somente foi chamada quando os projetos estavam prontos. “Neste caso, propusemos à prefeitura a contratação de uma empresa especializada em transporte coletivo para adequarmos nossa frota às novas obras”.
Na mesma tarde, os vereadores também ouviram o ex-secretário municipal de Obras Públicas, Fernando Camargo. Ele lembrou que o Terminal Intermodal fazia parte do projeto do Novo Centro e que uma carta-consulta foi enviada ao Ministério das Cidades em 2012. “As solicitações de despesa para elaboração dos projetos do Terminal foram iniciadas em 2013 com base na tabela do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) para estimarmos o valor das licitações”, detalhou o engenheiro ao frisar que era exigência aos concorrentes que comprovassem experiência em projeto para transporte coletivo urbano com ligação ao ferroviário.
De acordo com Camargo, a estimativa de investimento no Terminal Intermodal, corredores de ônibus e terminais de bairros seria de R$ 67,8 milhões. “Prevíamos que a área construída seria de 32 mil metros quadrados. Estive à frente da SEMOP até o início de 2014. Por isso, as licitações para execução da obra e mudanças soube apenas pela imprensa”, concluiu.
Ambos agradeceram a oportunidade de esclarecer dúvidas e colocaram-se à disposição da CPI sempre que necessário.
A próxima reunião da CPI do Terminal Intermodal será no dia 11 de maio (quinta-feira), às 16 horas, para análise de documentos. (inf Betânia Rodrigues ACCMM)