Como lidar com a dor da perda

As perdas e sofrimentos são uma oportunidade para nos construir e não nos destruir”. A frase do escritor Augusto Cury fundamenta a dificuldade humana de lidar com as perdas, rompimentos e tristezas. Elas são parte da vida. Mas é preciso aprender a conviver com os contratempos, sem deixar que eles estraguem os desafios que virão pela frente.
O sofrimento neste momento é natural e vivê-lo é uma parte do processo de recuperação. No entanto, a dor da perda não deve impossibilitar a pessoa de continuar a viver e prosseguir com suas experiências. Para conseguir lidar com essa dor, é preciso melhorar as habilidades socioemocionais.

Aceite seus sentimentos
Enfrentar a perda não é negá-la. É preciso aceitar os sentimentos, a frustração e o vazio que estão envolvidos em torno dela. Se sentir tristeza, não tenha medo de chorar. Tente observar suas emoções e geri-las em vez de descontar nas pessoas ao redor suas frustrações.

Busque dialogar com boas influências
Guardar tudo para si pode provocar muita angústia e sofrimento. Além disso, estando sozinho e vulnerável, sua avaliação da realidade pode ser muito afetada: você corre o risco de se entregar a pensamentos muito pessimistas e não conseguir sair do estado de tristeza. Para evitar esse tipo de problema, experimente conversar com alguém de confiança, com quem você se sinta confortável para desabafar. Pode ser um amigo próximo, um familiar ou mesmo um terapeuta. Desabafar sempre ajuda a aliviar a dor, pois permite que os sentimentos sejam elaborados e compreendidos.

Pratique atividades prazerosas
Escrever, fazer artesanato, pintar ou praticar esportes: são várias as atividades que você pode realizar para canalizar seus sentimentos e se sentir produtivo. Concluir tarefas é fundamental para se distrair e pensar menos na dor da perda, pois a satisfação de fazer algo por nós mesmos ajuda a lidar com a sensação de vazio. Trabalhar com plantas ou animais também pode ser uma boa ideia. O importante é investir em uma tarefa que seja prazerosa, mas que ocupe sua mente e evite que você alimente pensamentos de dor.

Coloque razão na emoção
Depois de aceitar os sentimentos e vivenciá-los de forma saudável, é preciso desenvolver um pensamento mais racional. Isso significa, principalmente, evitar idealizar o que foi perdido. Seja uma morte, uma separação, uma perda de emprego ou mudança de fase na vida, lembre-se que nada é perfeito. Nessa etapa, o importante não é hostilizar o que foi perdido, mas se conscientizar de que tudo tem um lado saudável e outro não saudável. Valorize o lado bom do que se foi, mas esteja consciente das dificuldades do que foi perdido.

Busque o autoconhecimento
É fundamental ter momentos de reflexão para integrar a perda e perceber que o sofrimento traz aprendizados importantes. Esse é o momento de reavaliar valores, deixar de dar importância para algumas coisas e passar a se preocupar com outras, mais essenciais. Também é hora de se questionar sobre o que fazer a partir de agora, com essa nova realidade. Direcione mais as suas questões para o futuro e menos para o passado. Com o tempo e as estratégias certas, a dor da perda dará lugar a sentimentos de aceitação.

Sobre a Escola da Inteligência
A Escola da Inteligência é a primeira empresa do Grupo Educacional Augusto Cury e foi criada em dezembro de 2010 na cidade de Colina – SP. Desde 2012, a Escola passou a funcionar em Ribeirão Preto, sob a direção de Camila Cury e Bruno Oliveira.
A Escola da Inteligência – apontada como o maior Programa mundial de desenvolvimento das habilidades socioemocionais, atualmente atendendo diretamente mais de 200 mil alunos em escolas de todo Brasil – dá algumas dicas que podem minimizar o sofrimento deste momento tão difícil na vida das pessoas.