Comissão Processante que investiga denúncias contra vereador ouve as primeiras testemunhas

A Comissão Processante (CP) que apura possível quebra de decoro parlamentar do vereador Homero Figueiredo Marchese (PV) ouviu, nesta sexta-feira (27), os primeiros depoimentos. Colocaram-se à disposição nesta ordem: Ederlei Alkamin, presidente municipal do Partido Verde que elaborou a denúncia; o servidor municipal Lucas Barbosa e a secretária municipal de Educação Valkiria Trindade de Almeida Santos. Com exceção de Barbosa, os outros responderam os questionamentos dos integrantes da CP; do advogado do vereador, Valter Akira Iwazaki e do próprio Marchese. Barbosa foi definido como testemunha contraditada ao declarar-se inimigo do vereador e, supostamente, possuir interesse na causa. Na denúncia do PV, ele é colocado como vítima ao afirmar perseguição de Marchese.
O advogado Fúlvio Luiz Stadler Kaipers, membro da subseção OAB-Maringá, participou da reunião. Segundo ele, sua função é preservar a liberdade do exercício funcional de Iwazaki.

Após cinco horas de reunião, a CP definiu o seguinte cronograma:
Dia 1º, às 8h30, serão ouvidos: Carlos Bonfim, Paulo André de Souza, Eloacy Maria Prado Tavares e Guilherme Vieira.
Dia 1º, às 14 horas, serão ouvidos: Silvana Valin de Oliveira, Sueli Marcelino Ribeiro, Adriano Zampieri Calvo, José Ângelo Rigon e Ézio Ribeirete.
Dia 6, às 11 horas, serão ouvidos: Dirceu Galdino, Shinji Gohara, Damaris Josepetti e Franklin Silva.
Dia 6, às 15 horas, serão ouvidos: Edson Mosca, Delamar Eduardo Dias, Edson Scabora, César Augusto França, Valdemar Leite Moraes e Adriana Santana.
Os vereadores Mário Hossokawa (PP), Mário Verri (PT) e Jean Marques (PV) foram arrolados como testemunhas pela defesa de Marchese e serão notificados a optar pelo depoimento ou votação do relatório da CP. O prefeito Ulisses Maia (PDT) também será intimado a depor. No entanto, ele tem a prerrogativa de escolher o dia, horário e local do seu testemunho.

A Comissão Processante é composta pelos vereadores William Gentil (presidente), Carlos Mariucci (relator) e Chico Caiana (membro). Ela foi instalada no último dia 5, com aprovação de 11 vereadores, e terá prazo máximo de 90 dias para apresentar sua conclusão, contados a partir da comunicação de sua instalação, ou seja, desde 6 de outubro. (inf CMM)