Comissão Processante decide prosseguir investigação sobre Marchese

A Comissão Processante (CP) que apura a denúncia por quebra de decoro do vereador Homero Marchese (PV) decidiu, por dois votos contra um, acatar a solicitação feita pelo Partido Verde (PV), de Maringá. Votaram a favor do prosseguimento das diligências e audiências necessárias os vereadores William Gentil (PTB) e Carlos Mariucci (PT). O vereador Chico Caiana (PTB) foi contrário à denúncia alegando não encontrar nas atitudes de Marchese a quebra de decoro parlamentar.
A reunião foi acompanhada pelo advogado de Marchese, Valter Akira Ywazaki, que arrolou 26 testemunhas, uma delas moradora de Curitiba. Em função da quantidade de depoentes sugeridos pela defesa, a CP estabeleceu o prazo de 24 horas para apresentação da justificativa da necessidade de cada depoimento. Além disso, também alertou que a Câmara Municipal não dispõe de recursos para subsidiar os gastos com depoentes fora de Maringá.
A próxima reunião da CP foi agendada para esta quarta-feira (25), às 14 horas, no Plenário. (inf Betânia Rodrigues/foto Marquinhos Oliveira)
Três graves denúncias foram aceitas pela CP contra o vereador; perseguição política a servidor público, uso de senha sem autorização para bancos de dados da secretaria de Educação e nomeação de assessor condenado pela Justiça em seu gabinete.