Casamento coletivo terá participação de 300 casais

Exatos 300 casais legalizam hoje a convivência no âmbito da legislação civil durante casamento coletivo, às 19 horas, no Instituto de Educação de Maringá (ao lado da Catedral). A solenidade faz parte do projeto Justiça no Bairro, que oferecerá neste sábado, (70), das 8 às 17 horas, atendimento jurídico gratuito a população em vulnerabilidade social e econômica. O atendimento será feito no Instituto de Educação.
As inscrições para o casamento coletivo, projeto desenvolvido pelo Poder Judiciário e Sistema Fecomércio, foram realizadas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc). 318 casais se inscreveram – 18 casais, internos da Penitenciária Estadual de Maringá, oficializaram a união em solenidade realizada ontem (05). 300 casais participam da cerimônia que acontece no Instituto de Educação a partir das 19 horas.
A partir das 13h30 desta sexta, profissionais do Senac estarão no local para preparar as noivas, com cabelo e maquiagem. Muitas agendaram o atendimento. Aquelas que não marcaram o horário também serão atendidas, mas de acordo com a capacidade da equipe. Às 15 horas os casais começam a assinar os documentos em seus respectivos cartórios, com estruturas montadas no local. A partir das 17 horas chegam padrinhos e convidados.
As certidões de casamento serão assinadas pelo prefeito Ulisses Maia e sua esposa, a presidente do Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar), Eliane Maia. A cerimônia será dirigida pela desembargadora Joeci Machado, criadora do projeto Justiça no Bairro, no qual está inserido o casamento coletivo. Cada casal poderá levar 4 convidados e o registro fotográfico será realizado em estúdio fotográfico montado no local. No sábado, ainda no Instituto de Educação, será feito atendimento jurídico.

Das 8 às 17 horas o atendimento gratuito vai atender pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica, proporcionando conciliação por meio de audiências prévias e atividades da área do direito como divórcio, pensão alimentícia, guarda e responsabilidade, reconhecimento de paternidade e maternidade, reconhecimento de união estável, DNA e interdição judicial, entre outras demandas. Estarão disponíveis serviços do Ministério Público, SESC, Procon, INSS, Agência do Trabalhador e Secretaria de Saúde.