Câmara só tem 2 projetos novos para votar nesta terça

Na sessão ordinária desta terça-feira (04), o plenário da Câmara Municipal de Maringá votará somente dois projetos em primeira discussão; o primeiro, do vereador Carlos Mariucci (PT) dispondo sobre a Campanha Pequenas Corrupções – Diga Não a ser instituída pelos Poderes Executivo e Legislativo. O outro projeto é de autoria do vereador Chico Caiana (PTB) e dos ex-vereadores Da Silva (PTB) e Luiz Pereira (PTB) dispondo sobre a autorização para a parada e o estacionamento de veículos nas vias públicas demarcadas para o uso exclusivo dos ônibus do Sistema de Transporte Coletivo de Passageiros.
O restante da pauta é formada apenas por mais dois projetos em segunda discussão e 25 requerimentos, procedimento que somente pede informações ao Poder Executivo.
A crise da falta de projetos apresentados na pauta da Câmara de Maringá havia sido alertada pelo presidente, Mário Hossokawa (PP), devido a retenção da tramitação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo seu presidente, Homero Figueiredo Marchese (PV). Figueiredo alega na maioria das vezes a inconstitucionalidade dos projetos, com isso não segue para votação em plenário.
A situação se agravou ainda mais esta semana, informa o jornalista Angelo Rigon em seu blog que houve discussão na reunião semanal dos vereadores na tarde desta segunda-feira (03), sobre autoria de requerimentos. Há uma guerra intestina, há tempos, sobre o tema, com suspeita de que tem vereador copiando ideia dos outros. Foi ao comentar sobre uma sugestão de Mário Verri (PT) que o clima esquentou. Figueiredo disse que não gostava de seu colega de partido – Jean Marques – e voltou a referir-se pejorativamente à noiva de Marques. Neste momento, o clima pesou; os dois partiram para o pau, mas Jean Marques escorregou e caiu, o que permitiu que os outros vereadores interferissem.
Homero Figueiredo Marchese consegue ser uma unanimidade neste momento no Legislativo, nenhum vereador está suportando sua arrogância e soberba.