Foi publicada na última sexta-feira a resolução da Câmara Municipal de Farol contendo o rito processual que pode acabar na cassação do mandato da prefeita Angela Kraus (foto), que preside a Comcam, associação de municípios da região de Campo Mourão. As acusações são graves, mas, devido à sua influência, a repercussão na chamada mídia tradicional é mínima.
A prefeita – acusada de autorizar compra superfaturada de produtos alimentícios, no valor de R$ 406 mil, para um evento de cavalgada – terá dez dias para sua defesa prévia. A Comissão Processante terá cinco dias para emitir parecer sobre o prosseguimento ou não da apuração da denúncia. Para aprovar o parecer são necessários cinco dos nove votos dos vereadores; para a cassação do mandato serão precisos seis votos (dois terços).
O superfaturamento da compra é tão escandaloso – um exemplo: o quilo do peito de frango, que custa R$ 7,99, foi vendido à prefeitura por R$ 13,8 – que a vereadora Eliane Menezes sugeriu da tribuna que a prefeita renunciasse ao mandato. A 3ª Promotoria de Justiça de Campo Mourão também apura o caso e já tem informações de que a prefeita estaria promovendo perseguição política. (inf Blog do Rigon)