Associação de oficiais divulga nota de apoio a comandante afastado pela governadora

por Angelo Rigon;

A decisão da governadora Cida Borghetti que afastou o comandante do 1ºBPM de Ponta Grossa, Coronel Edmauro, depois que ele cumpriu de forma em sucedida a ordem de desobstruir a via de acesso às cooperativas, está causando indignação entre a PM e a população. Leia a nota divulgada pela Assofepar:

“A Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Estado do Paraná – ASSOFEPAR, por decisão dos seus Conselheiros, vem a público manifestar seu irrestrito apoio ao Comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, Ten.-Cel. Edmauro de Oliveira Assunção, assim como aos Oficiais e Praças que atuaram na liberação de rodovia no município de Castro, na manhã desta quarta-feira.
Importante salientar que os Militares Estaduais estiveram provendo segurança aos manifestantes e à população, ininterruptamente nos últimos dias, em centenas de pontos de bloqueio para circulação de veículos de carga no território paranaense. Em todas as ações, a filosofia de polícia cidadã foi observada rigorosamente, assim como o respeito aos direitos humanos e aos preceitos técnicos da negociação.
Vale mencionar que, na tarde de ontem (29), houve determinação clara do Governo no sentido de que todas as rodovias do Estado que se encontravam bloqueadas fossem desobstruídas na manhã desta quarta-feira. Assim como ocorreu nas demais regiões do Paraná, também na área circunscricional do 1º Batalhão de Polícia Militar, sob o Comando do Ten.-Cel. Edmauro, em quase a totalidade dos pontos de bloqueio os manifestantes atenderam a solicitação das autoridades policiais militares.
No entanto, especificamente na via bloqueada no município de Castro, o Capitão, comandante da Operação, estabeleceu contato com os manifestantes, com todo respeito e polidez, buscando uma solução pacífica por aproximadamente 2 horas, esgotando assim, todas as possibilidades de diálogo com os manifestantes, a maioria dos quais não tinha qualquer relação com os caminhoneiros e suas causas. Somente como último recurso o efetivo de choque foi empregado, agindo em consonância com as normas e técnicas vigentes no plano nacional e internacional, observando rigorosamente o uso seletivo e gradual da força.
É muito importante destacar que nesta ocorrência dois Militares Estaduais foram feridos por manifestantes, mas não há registro de que um civil sequer tenha sido lesionado.
Nesse cenário de dedicação, sacrifício e profissionalismo dos Militares Estaduais, protagonizando centenas de ações de absoluto sucesso, gerou enorme insatisfação e indignação assistir ao vídeo divulgado nas mídias sociais pela Senhora Governadora, informando que o Comandante do Batalhão foi afastado da função em razão de legítima ação policial, posto que evidentemente realizada em observância à legislação, à técnica e à decisão do governo.
Com o devido respeito que nutrimos pela Senhora Governadora, não podemos deixar de manifestar nosso descontentamento. Consideramos essa atitude precipitada e prejudicial. A Classe dos Oficiais recebe como uma punição antecipada, injusta e descabida, que desconsidera os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório, gerando instabilidade e afetando o moral destes profissionais que se dedicam continuamente em defesa do povo paranaense e que esperam minimamente a consideração das autoridades constituídas, especialmente da Senhora Governadora.
Temos convicção que a Senhora Governadora, assim como manifestou bom senso em dialogar com os caminhoneiros, demonstrará também consideração para com os Militares Estaduais, reconduzindo o Ten-Cel. QOPM Edmauro de Oliveira Assunção ao Comando do 1º Batalhão, aguardando o deslinde das investigações já determinadas, para então, com os fatos aclarados, tomar um posicionamento mais fundamentado.”

Avante PMPR!
Avante Militares Estaduais!

Curitiba, PR, 30 de maio de 2018.

Diretoria da Associação dos Oficiais – ASSOFEPAR