Após vice em 2014, Argentina quer acabar com jejum de 25 anos sem títulos

Quebrar um tabu de 25 anos sem título. Esse é o objetivo dos argentinos na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Após ficar com o vice no Brasil, a seleção argentina começa sua caminhada na Copa deste ano no grupo D, ao lado de Croácia, Islândia e Nigéria. O grande trunfo do time é Lionel Messi, que chegou a anunciar em 2016 que não jogaria mais pela seleção, após ser vice-campeão da Copa América. Mas voltou atrás em sua decisão com o objetivo de ser campeão mundial por seu país.

Apenas na última Copa, em 2014, no Brasil, a Argentina voltou a disputar uma final. Liderados por Messi, acabaram derrotados por 1 a 0 pela Alemanha e não conseguiram por fim ao jejum. A saga da Argentina em busca de títulos prosseguiu nos anos seguintes, com os argentinos chegando nas finais das Copas Américas de 2015 e de 2016, perdendo ambas para o Chile. A missão agora será na Rússia.

No entanto, a campanha irregular nas Eliminatórias, somada ao desempenho pouco convincente do time nos últimos meses, deixa os argentinos com uma pulga atrás da orelha. Com um time cheio de estrelas, os argentinos garantiram sua participação na Copa apenas na última rodada das Eliminatórias, após vencerem o Equador, em Quito, por 3 a 1. O herói da classificação foi Lionel Messi, que marcou os três gols da Argentina na partida.Eleito cinco vezes melhor do mundo, Messi tenta levar Argentina ao título mundial, seu primeiro pela seleção principalPara se ter uma ideia, ao final da penúltima rodada do torneio, os argentinos estavam na sexta colocação, posição que deixava o país fora do Mundial. Nas Eliminatórias, foram sete vitórias, sete empates e quatro derrotas, com 19 gols marcados e 16 sofridos. No final das contas, a Argentina ficou com a terceira colocação e evitou o vexame de não ir à Copa.

Repleta de estrelas no ataque, a Argentina sofre com a inconsistência defensiva. Messi será decisivo para a seleção albiceleste, já que a equipe mostrou-se dependente do craque para impor seu ritmo de jogo. O camisa dez do Barcelona terá ao seu lado craques como Dí Maria, Sergio Agüero, Gonzalo Higuaín e Paulo Dybala. Favoritos para ficar com uma das vagas de seu grupo, os argentinos terão que tomar cuidado com seus adversários. Todos possuem condições de surpreender e a disputa pela segunda vaga do grupo promete ser bastante equilibrada.

O primeiro desafio dos argentinos na Copa será a estreante Islândia, no dia 16 de junho, em Spartak. Na segunda rodada enfrentam a forte seleção da Croácia, provavelmente no jogo mais difícil da equipe na primeira fase, na cidade de Nizhny Novgorod. A Argentina encerra sua participação na fase de grupos contra a Nigéria, em São Petersburgo. (inf agencia rádio Mais)