Sindicato emite nota de repúdio a vereador por assédio contra advogada da câmara de Maringá

Representante legítimo dos servidores de carreira da Prefeitura de Maringá e da Câmara Municipal, o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (SISMMAR) presta solidariedade à advogada concursada da Câmara Ana Maria Brenner Silva, ofendida pelo vereador Homero Marchese (PV) simplesmente por ter exercido suas atribuições legais na Casa.
Ana Brenner sofreu pressões e ameaças de Marchese por ter assinado as contrarrazões da Câmara, solicitando ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) o andamento da Comissão Processante (CP) criada para apurar denúncias do Partido Verde contra Marchese – ele responde pelas acusações de perseguição de desafeto pessoal; acesso clandestino e ilegal ao banco de dados das filas dos CMEIs; e indicação de assessor condenado para seu gabinete. A CP pode resultar na cassação do mandato de Marchese.
Durante a sessão de quinta-feira (30), Marchese disse que representaria contra a servidora por litigância de má-fé, por discordar das contrarrazões apresentadas ao TJPR, na qual Ana Brenner sustenta que não houve irregularidade da Câmara nos trâmites para a abertura da CP. Antes do início daquela sessão, em cena presenciada por outros vereadores, Marchese ofendeu a servidora enquanto profissional.
Segundo o entendimento do próprio presidente do Legislativo, Mário Hossokawa (PP), Marchese assediou moralmente Ana Brenner. “Quero dizer, vereador Homero, que o que o senhor está fazendo com nossa única advogada de carreira é assédio moral. Não pode fazer esse tipo de ameaça na frente de outros vereadores e na presença dela, dizendo que vai tomar as medidas necessárias para prejudicar nossa advogada”, disse o presidente, na sessão do dia 30.
Ainda segundo Hossokawa, outros vereadores presenciaram o assédio moral. O SISMMAR se coloca à disposição da servidora, esclarece que assédio moral é crime e repudia a postura de Homero Marchese nesse lamentável episódio. (ass com Sismmar)